Índice tem leve alta ao fim de sessão instável e marca 4ª semana seguida no azul

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou esta sexta-feira em leve alta, com a volatilidade prevalecendo no fim do pregão em meio à repercussão da notícia de que o FBI revisará mais emails de servidor pessoal da candidata democrata à presidência dos EUA, Hillary Clinton, em sessão de intenso noticiário corporativo.

O Ibovespa fechou com variação positiva de 0,09 por cento, a 64.307 pontos, voltando para o azul durante os ajustes. O índice oscilou entre alta de 0,75 por cento e baixa de 0,73 por cento. Na semana, o índice teve leve alta de 0,09 por cento, após registrar altas mais expressivas nas três semanas anteriores.

O volume financeiro do pregão foi de 8,3 bilhões de reais, abaixo da média diária para o mês, de 8,85 bilhões de reais.

O diretor do FBI, James Comey, disse a deputados de comissões na Câmara dos Deputados que a agência vai determinar se emails contêm informações sigilosas, adicionando que não está claro quão significativo o novo material pode ser.

A notícia a 11 dias da eleição causou ruído no mercado, por receio de que favoreça o candidato republicano Donald Trump. Em Wall Street, o S&P 500 fechou em baixa de 0,31 por cento.

O atual patamar do Ibovespa, perto das máximas desde abril de 2012, também abriu espaço para um movimento de ajuste, movimento que perdeu força no fim do pregão.

Para analistas a manutenção do otimismo na Bovespa depende de melhora nos resultados corporativos, que sinalize que as empresas estão prontas para uma retomada da economia.

DESTAQUES

- USIMINAS subiu 11,3 por cento, maior alta do Ibovespa, com analistas conferindo balanço do de julho a setembro, que mostrou prejuízo líquido pelo nono trimestre seguido, mas manteve a trajetória de redução de perdas, que somaram 107 milhões de reais no período.

- PÃO DE AÇÚCAR PN ganhou 3,49 por cento. A empresa teve prejuízo de 308 milhões de reais de julho a setembro, mais que o dobro ante igual etapa de 2015. Para a Brasil Plural, as operações de varejo ficaram praticamente em linha com as previsões, com resultado pouco acima do esperado em multivarejo e atacarejo.

- RAIA DROGASIL avançou 1,83 por cento, após divulgar aumento de 33,1 por cento no lucro no terceiro trimestre frente a igual período de 2015 e crescimento de 25,2 por cento na receita. Para analistas do Santander Brasil, os resultados foram fortes e o aumento de preços em abril continua beneficiando as margens devido à grande compra de estoque antes do reajuste.

- BRF subiu 3,07 por cento, após o balanço do terceiro trimestre mostrar lucro líquido de 18 milhões de reais, ante lucro de 687 milhões de reais um ano antes. O UBS avaliou que os ganhos de eficiência compensaram só parcialmente as pressões com custos de grãos e destacou o benefício da incorporação das aquisições às vendas.

- AMBEV caiu 2,05 por cento, após a divulgação do resultado para o terceiro trimestre que, segundo a empresa foi o mais difícil "de um ano já muito desafiador". A fabricante de bebidas teve lucro de 3,2 bilhões de reais no período, alta de 3,6 por cento sobre igual período de 2015.

- JBS caiu 2,5 por cento, após a empresa anunciar na quarta-feira o fim dos trabalhos para reestruturação do grupo. Em três sessões desde então, a ação caiu 17,3 por cento.

- BANCO DO BRASIL caiu 1,57 por cento, devolvendo parte dos ganhos da véspera, quando o papel subiu 5,1 por cento.

(Por Flavia Bohone)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos