Tite diz que problemas de Neymar fora do campo vão influenciar rendimento

Por Pedro Fonseca e Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os problemas fora de campo certamente irão influenciar o desempenho de Neymar dentro das quatro linhas, afirmou nesta segunda-feira o técnico Tite, acrescentando que minimizar a interferência no rendimento do atacante não é trabalho do treinador e dependerá das pessoas que trabalham com o camisa 10 do Brasil.

Neymar teve um pedido de prisão apresentado pelo Ministério Público da Espanha na semana passada por suspeita de corrupção na transferência do Santos para o Barcelona, em 2013, e ainda enfrenta processos no Brasil e no país europeu por denúncias de sonegação fiscal.

"É mentira dizer que está entrando no trabalho e deixando todos os problemas para fora. Vai influenciar sim, o que vai precisar ter é um grupo de pessoas que o aconselhem", disse Tite em entrevista à Reuters em sua sala na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

"Não tem como dissociar, vai depender muito da capacidade das pessoas próximas a ele de dizerem ‘fica tranquilo’. Mais ou menos, ou pouco ou muito, vai depender muito da capacidade do atleta, mas não se dissocia", acrescentou.

Assim que assumiu o comando da seleção, em junho, Tite se preocupou em diminuir a pressão sobre Neymar na equipe, inclusive retirando dele a braçadeira de capitão. O técnico chegou a descrever como "desumano" depositar todas as cobranças sobre o atacante.

Neymar tem correspondido dentro de campo, liderando o Brasil na conquista do inédito ouro olímpico nos Jogos Rio 2016 e tendo papel decisivo nas seis vitórias em seis jogos sob comando de Tite nas eliminatórias da Copa do Mundo.

De acordo com o técnico da seleção, Neymar, de 24 anos, ainda está amadurecendo tanto dentro como fora de campo, e chegará ao auge daqui a três ou quatro anos.

"Ele está num processo de evolução, inclusive de maturidade", disse. "Ele vai atingir o ápice de sua carreira lá com 27, 28 anos".

GABRIEL JESUS

Além da questão de Neymar, Tite terá mais um motivo para se preocupar a partir de janeiro: a possível falta de ritmo de jogo de Gabriel Jesus em seu novo clube, o Manchester City.

Artilheiro da seleção sob Tite, o camisa 9 do Brasil vai se despedir do Palmeiras após a conquista do Campeonato Brasileiro de 2016 e iniciará uma nova fase no futebol europeu em um time com forte concorrência em sua posição.

Na avaliação de Tite, o atacante de 19 anos terá facilidade para se adaptar ao futebol inglês por seu estilo de jogo, acostumado a participar da marcação, e por ser "um menino muito bem educado", mas isso não garante uma vaga no time do técnico Pep Guardiola.

"Talvez nesse aspecto ele possa perder um pouco de espaço, vai ter concorrência. Vamos acompanhar, secar um pouquinho para que ele jogue", disse Tite, que destacou que Gabriel deve ter o argentino Sergio Aguero como principal concorrente por uma vaga.

Ficar sem jogar em seu clube, no entanto, não seria um empecilho para o atacante manter a vaga na seleção, acrescentou o treinador. "Por vezes existem muitos clubes que são mais do que uma seleção pelo poder financeiro".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos