Gerente de restaurante é preso na Turquia por insultar presidente Erdogan, diz advogado

Por Humeyra Pamuk

ISTAMBUL (Reuters) - Autoridades turcas prenderam o gerente do restaurante do jornal de oposição Cumhuriyet por insultar o presidente após ele dizer que não serviria chá a Tayyip Erdogan, disse nesta segunda-feira um dos advogados do gerente à Reuters.

Senol Buran, que administra o restaurante do escritório em Istambul do Cumhuriyet, foi levado sob custódia após a polícia realizar uma operação em sua casa no sábado, disse o advogado Ozgur Urfa. O jornal está entre os poucos ainda críticos ao governo.

Insultar o presidente é um crime punível com até quatro anos de prisão na Turquia.

Advogados de Erdogan, que domina a política turca por mais de uma década, realizaram mais de 1.800 processos contra pessoas, como cartunistas, uma ex-vencedora do Miss Turquia e jovens estudantes por acusações de insultos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos