EUA planejam anunciar 5ª-feira retaliação à Rússia por ação de hackers nas eleições, dizem fontes

Por Dustin Volz e Joel Schectman

WASHINGTON (Reuters) - A administração Obama planeja anunciar na quinta-feira uma série de medidas de retaliação contra a Rússia por hackear instituições políticas e indivíduos dos Estados Unidos e vazamento de informações em um esforço para ajudar o presidente eleito Donald Trump e outros candidatos republicanos, disseram duas autoridades norte-americanas na quarta-feira.

Ambos as autoridades se recusaram a especificar quais ações o presidente Barack Obama aprovou, mas disseram que sanções econômicas direcionadas, acusações, vazamento de informações para embaraçar autoridades ou oligarcas russos e restrições a diplomatas russos nos Estados Unidos estão entre os passos que foram discutidos.

Uma decisão que foi tomada, disseram, falando sob a condição de anonimato, é evitar movimentos que ultrapassem as eleições russas e arriscar uma escalada em um conflito cibernético que pode sair de controle. Um exemplo de uma medida excessiva pode ser interferir com mensagens de internet russas.

O FBI, a CIA e o Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional concordam que a Rússia estava por trás de ataques contra organizações e operações do Partido Democrata antes da eleição presidencial de 8 de novembro. Há também um consenso, de acordo com funcionários dos EUA, de que a Rússia procurou intervir na eleição para ajudar Trump, um republicano, a derrotar a democrata Hillary Clinton.

A Rússia tem negado repetidamente essas acusações. Trump tem rejeitado as avaliações da comunidade de inteligência dos EUA.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos