Obediência da Opep aos cortes na produção de petróleo aumenta, diz levantamento da Reuters

Por Alex Lawler e Rania El Gamal

LONDRES (Reuters) - A Opep cortou a sua produção de petróleo em fevereiro pelo segundo mês, concluiu um levantamento da Reuters nesta terça-feira, permitindo que o grupo de exportadores reforçasse uma já forte obediência aos cortes acordados de suprimentos depois de uma redução acentuada da Arábia Saudita.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) está cortando a sua produção em cerca de 1,2 milhão de barris por dia desde 1º de janeiro, o primeiro acordo como esse desde 2008 para se livrar de excesso. Países que não pertencem à Opep prometeram cortar cerca de metade dessa quantidade.

Cortes anteriores da Opep tinham sido marcados por trapaças em massa dos seus membros, tornando a forte obediência desta vez uma surpresa positiva para os mercados, com o barril sendo comercializado por mais de 55 dólares o barril, 35 dólares a mais do um ano atrás.

A Arábia Saudita, grande exportadora, e o seus aliados do golfo esperam que os cortes ajudem o preço do petróleo a subir um pouco mais para cerca de 60 dólares, disseram cinco fontes de países da Opep e da indústria, para reforçar os rendimentos com exportações e o investimento industrial.

"Se a obediência é alta pela Opep e pelos não Opep, então eu acho que os preços vão chegar a 60 dólares”, disse um representante da Opep. “Se for maior, seria melhor, mas 60 dólares é bom.”

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos