Embaixadora dos EUA na ONU diz que tirar Assad é prioridade na Síria

Timothy Gardner

  • Seth Wenig/AP

WASHINGTON (Reuters) - A embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, disse em uma entrevista que ela vê a mudança de governo na Síria como uma das prioridades do governo Trump no país devastado pela guerra civil.

Derrotar o Estado Islâmico, acabar com a influência iraniana na Síria e tirar Bashar al-Assad do comando são as prioridades dos EUA, disse Haley em entrevista à rede norte-americana CNN.

"Não vemos uma Síria pacífica com Assad no comando", disse Haley.

Os comentários representaram uma mudança em relação ao que Haley havia dito antes de os Estados Unidos atacarem uma base aérea síria com 59 mísseis Tomahawk na quinta-feira. Foi uma retaliação pelo que suposto ataque com armas químicas cometido pelas forças de Assad contra civis sírios.

O presidente Donald Trump ordenou o ataque com mísseis depois de assistir a imagens de crianças feridas pelas armas químicas.

"Você seleciona e elege suas batalhas, e quando olhamos para isso, exige mudar as prioridades, e nossa prioridade não é mais ficar lá e concentrar-se em tirar Assad", havia dito Haley no dia 30 de março, poucos dias antes de dezenas de civis sírios serem mortos, vítimas de ferimentos causados ??pelas armas químicas.

O secretário de Estado Rex Tillerson adotou uma postura mais ponderada em relação a Assad, dizendo, no sábado, que a principal prioridade dos EUA na Síria é a derrota do Estado Islâmico.

Depois que a ameaça do Estado Islâmico for reduzida ou eliminada, disse ele, "penso que podemos focar diretamente na estabilização da situação na Síria", disse Tillerson, em trechos de uma entrevista à rede CBS, que deve ser transmitida na íntegra neste domingo.

Tillerson disse que os Estados Unidos esperam poder ajudar a reunir os partidos para começar um processo de busca de solução política.

"Se conseguirmos atingir um cessar-fogo em zonas de estabilização na Síria, acredito --esperamos que tenhamos as condições para começar um processo político útil", disse Tillerson.

As forças sírias lançaram mais ataques aéreos no sábado, que mataram 18 pessoas, incluindo cinco crianças, na Província de Idlib, que é controlada pelos rebeldes, informou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos e o serviço de resgate da defesa civil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos