Juiz dos EUA aprova multa de US$ 2,6 bi contra Odebrecht por corrupção

Brendan Pierson

De Nova York

  • Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Um juiz norte-americano homologou nesta segunda-feira acordo que determina o pagamento pela Odebrecht de 2,6 bilhões de dólares, assinado entre a empresa e autoridades brasileiras, norte-americanas e suíças, devido ao escândalo de corrupção denunciado pela operação Lava Jato.

O juiz distrital Raymond Dearie disse em uma audiência na corte federal do Brooklyn que 2,39 bilhões de dólares serão destinados ao Brasil, 116 milhões à Suíça e cerca de 93 milhões aos EUA.

A Odebrecht no Brasil informou que não comentaria o assunto. William Burck, advogado da Odebrecht nos EUA, se recusou a falar após a audiência.

A Odebrecht, junto com a petroquímica Braskem, admitiu em dezembro responsabilidade em acusações de propina feitas nos Estados Unidos. Autoridades dos EUA na ocasião acusavam a Odebrecht de ter pago cerca de 788 milhões de dólares em suborno a representantes governamentais em 12 países, a maior parte na América Latina, para obter contratos de obras.

Algumas dessas propinas circularam por bancos dos EUA, disseram os promotores.

A condenação desta segunda-feira veio enquanto a Odebrecht tenta negociar acordos com outros países, incluindo Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru, República Dominicana, Venezuela, Panamá e Portugal.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos