Trump elogia esforços chineses contra "ameaça" da Coreia do Norte

Por Steve Holland e Phil Stewart

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou nesta quinta-feira os esforços da China em controlar “a ameaça da Coreia do Norte”, após a mídia estatal norte-coreana alertar aos Estados Unidos sobre um “ataque preventivo superpoderoso”.

Trump disse durante entrevista coletiva que “algumas ações muito incomuns foram feitas durante as últimas duas ou três horas” e que está confiante de que o presidente da China, Xi Jinping, irá “tentar muito” pressionar a Coreia do Norte, aliada e vizinha da China, sobre seus programas nuclear e de mísseis.

Embora Trump não tenha dado indicações de quais ações podem ter sido, autoridades norte-americanas disseram à Reuters que os EUA estão cientes de um nível acima do normal de atividades de bombardeiros chineses, sinalizando um possível estado elevado de prontidão. As autoridades minimizaram preocupações e deixaram em aberto uma série de possíveis razões.

Estas possibilidades incluem exercícios de defesa ou preocupações chinesas sobre a Coreia do Norte. Nenhuma das autoridades, que falaram em condição de anonimato, sugeriu alarme ou destacou que sabia da razão exata para tal atividade chinesa.

Autoridades norte-americanas vêm dizendo há semanas que a Coreia do Norte pode realizar em breve outro teste de bomba nuclear, algo que os EUA e China alertaram contra.

Trump adotou uma linha dura com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, que seguiu com os programas nuclear e de mísseis em desafio às sanções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

Os EUA e Coreia do Sul ainda estão tecnicamente em guerra com a Coreia do Norte porque o conflito de 1950 a 1953 entre os países terminou em trégua, e não em acordo de paz.

Tensões cresceram bruscamente nos meses recentes após a Coreia do Norte realizar dois testes de armas nucleares no ano passado e realizar uma série de testes de mísseis balísticos. Trump, que assumiu em janeiro, prometeu evitar que a Coreia do Norte seja capaz de atingir os EUA com um míssil nuclear.

Trump focou seus esforços na Coreia do Norte ao tentar persuadir a China a colocar maior pressão em sua aliada e pode ver quaisquer movimentos militares chineses incomuns como um apoio a isto.

Ele disse durante entrevista coletiva nesta quinta-feira com o primeiro-ministro da Itália que os EUA estão “em boa forma” com a Coreia do Norte e que o presidente chinês, com quem se encontrou em cúpula na Flórida neste mês, está trabalhando duro para ajudar.

“Não sabemos se eles conseguem ou não fazer isto, mas tenho confiança absoluta de que ele está tentando muito”.

Trump repetiu um comentário anterior de que havia dito a Xi na Flórida que a China pode fazer um acordo comercial melhor com os EUA “caso se livre desta ameaça ou faça algo sobre esta ameaça da Coreia do Norte”.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos