Presidente filipino diz que líder da Coreia do Norte "quer acabar com o mundo"

Neil Jerome Morales

Em Manila

  • KCNA via AP

    26.abr.2017 - Demonstração de fogo marca celebração do 85º aniversário do Exército norte-coreano, na Coreia do Norte

    26.abr.2017 - Demonstração de fogo marca celebração do 85º aniversário do Exército norte-coreano, na Coreia do Norte

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, pediu neste sábado (29) que os Estados Unidos mostrem moderação após o último teste de mísseis da Coreia do Norte e que evitem jogar nas mãos do líder Kim Jong-un, que "quer acabar com o mundo".

Duterte disse que a região do Sudeste Asiático está extremamente preocupada com as tensões entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, e disse que um passo em falso seria uma "catástrofe" e que a Ásia seria a primeira vítima de uma guerra nuclear.

Os Estados Unidos, o Japão, a Coreia do Sul e a China, disse ele, estão lidando com um homem que está animado com a perspectiva de disparar mísseis.

Duterte é atual presidente da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean) e deve falar por telefone com presidente dos EUA, Donald Trump, no sábado. Ele disse que iria exortar Trump a não entrar em um confronto com Kim.

"Parece que há dois países brincando com seus brinquedos e esses brinquedos não são realmente para entreter", disse ele em uma coletiva de imprensa após a reunião de cúpula da Asean em Manila, referindo-se a Washington e Pyongyang.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos