Venezuela proíbe importações de máscaras de gás, coletes à prova de balas

CARACAS (Reuters) - As empresas de correio estão avisando seus clientes que a autoridade aduaneira venezuelana proibiu a importação de itens como máscaras de gás, estilingues e coletes à prova de balas usados ​​por alguns manifestantes em protestos contra o governo.

Outros itens proibidos incluem suprimentos de primeiros socorros, como cremes contra queimaduras e gaze, de acordo com mensagens enviadas por email aos clientes esta semana pelas empresas de entrega expressa. Estes produtos têm sido usados ​​para tratar feridos nos protestos.

Os serviços de correio que enviavam os avisos incluíam o serviço local Zoom e o escritório venezuelano da Mail Boxes Etc., conhecida como MBE.

Outra empresa, a BVA Export, disse aos clientes em um email: "Não é permitido enviar máscaras de gás e itens que podem ser usados ​​para defesa e/ou ataque nos protestos venezuelanos". Ela incluiu uma lista detalhada dos produtos que disse que tinham sido banidos.

Não houve resposta imediata das empresas aos pedidos de comentários.

Funcionários do governo têm acusado publicamente a oposição de usar serviços de entrega para equipar os manifestantes em cerca de dois meses de confrontos quase diários com as forças de segurança.

(Por Diego Oré)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos