Japão diz que é inaceitável revisar acordo sobre sul-coreanas forçadas a trabalhar em bordéis durante guerra

TÓQUIO (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores do Japão, Taro Kono, disse nesta quinta-feira que qualquer tentativa de revisar o acordo firmado em 2015 entre Tóquio e Coreia do Sul sobre as "mulheres para conforto", forçadas a trabalhar em bordéis militares japoneses em períodos de guerra, seria inaceitável e tornaria as relações entre os dois países impossíveis de gerenciar.

Os comentários de Kono vem depois de seu colega sul-coreano, Kang Kyung-wha, dizer que o acordo não atende as necessidades das vítimas e pedir desculpas pelo polêmico acordo.

"O acordo Japão-Coreia do Sul é um acordo entre os dois governos que foi altamente elogiado pela sociedade internacional", disse Kono em comunicado escrito.

"Se o governo sul-coreano... tentou revisar o acordo que já está sendo implementado, isso tornaria os laços do Japão com a Coreia do Sul impossíveis de se gerenciar e seria inaceitável."

(Reportagem de Kiyoshi Takenaka)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos