Odebrecht Óleo e Gás agora se chama Ocyan; empresa busca sócios

SÃO PAULO (Reuters) - A Odebrecht Óleo e Gás anunciou nesta segunda-feira que passará a se chamar Ocyan, dentro dos esforços da companhia para se distanciar da marca de sua controladora Odebrecht, atingida por uma série de escândalos de corrupção, e buscar novos sócios.

Conforme antecipado pela Reuters na sexta-feira, a mudança da marca será feita em anúncio nesta tarde a funcionários no Rio de Janeiro.

A alteração dá sequência à movimentação das empresas do conglomerado, com mudança de marcas e de nome. A Odebrecht Agroindustrial passou a se chamar Atvos em dezembro. No mês anterior, a Odebrecht Realizações Imobiliárias passou a se chamar apenas OR. A petroquímica Braskem em agosto já havia promovido mudanças na marca, abolindo o vermelho, cor característica da holding.

A OOG, presidida por Roberto Simões, acertou recuperação extrajudicial em maio passado em acordo com credores para alongamento de dívidas cujo total somava cerca de 5 bilhões de dólares.

A empresa sofreu os efeitos conjuntos da crise no setor de óleo e gás, que levou a Petrobras a cancelar em 2015 o contrato do navio-sonda ODN Tay IV, uma das quatro plataformas que garantem os bônus da empresa, e da operação Lava Jato, que levou à prisão o então presidente da holding, Marcelo Odebrecht.

Junto com a mudança do nome, a agora Ocyan faz planos para se desalavancar financeiramente e atrair novos sócios, segundo documento interno da companhia ao qual a Reuters teve acesso, por avaliar que o cenário de perfuração offshore deve seguir desafiador nos próximos anos, o que deve levar a movimentos de consolidação de empresas.

No relatório, a Cyan detalha planos para diversificar negócios, com foco em conquistar serviços que exijam volumes menores de investimentos e maior entrada no segmento de gás.

O documento define como meta para 2018 voltar ao cadastro de fornecedores da Petrobras, garantir o contrato de reafretamento da sonda Norbe VI, conquistar novos contratos de construção submarina e serviços offshore no valor de 400 milhões de reais.

A dívida líquida, de 2,96 bilhões de dólares no fim do ano passado, deve cair levemente nos anos seguintes, chegando a 2,6 bilhões de dólares no fim de 2022, segundo o documento.

Ainda assim, a previsão da Ocyan é de que sua receita líquida só volte a crescer a partir de 2020, chegando a 844 milhões de dólares, ante 834 milhões de dólares estimados para 2017.

(Por Aluisio Alves)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos