ONU diz ter recebido 40 acusações de abuso sexual no último trimestre de 2017

Michelle Nichols

  • Spencer Platt/Getty Images/AFP

Quarenta acusações de exploração e abuso sexuais foram feitas nos últimos três meses de 2017 contra missões de paz, agências, fundos, programas e parceiros da Organização das Nações Unidas (ONU), informou a entidade nesta quinta-feira (22).

Das 40 acusações, 15 foram relatadas em missões de paz, 17 vieram de agências, fundos e programas da ONU, enquanto oito foram relatadas por parceiros da organização, disse o porta-voz da ONU Stephane Dujarric.

"Todas alegações envolvendo nosso pessoal minam nossos valores e princípios e o sacrifício daqueles que servem com orgulho e profissionalismo em alguns dos lugares mais perigosos do mundo", disse Dujarric.

Ele disse que as 40 acusações envolvem 54 vítimas --30 mulheres e 16 garotas, além de outras oito cujas idades não são conhecidas. Doze casos ocorreram no ano passado, e as datas dos demais são desconhecidas.

Dois casos foram fundamentados, três não fundamentados, e todos os demais estão sob investigação, disse o porta-voz.

Mais de 95 mil civis e 90 mil militares e policiais trabalham para a ONU.

A ONU tem tentado aumentar a transparência e fortalecer a maneira que lida com este tipo de alegação nos últimos anos, depois que uma série de acusações de exploração e abuso sexuais foram feitas contra integrantes de missões de paz da entidade na África Central.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos