Governo da Síria ganha terreno em avanço sobre Ghouta Oriental, dizem fontes

BEIRUTE/GENEBRA (Reuters) - As forças do governo da Síria pretendem avançar sobre a região de Ghouta Oriental dando uma "mordida" de cada vez, disse um comandante pró-governo nesta sexta-feira, e um grupo de monitoramento da guerra disse que o Exército ganhou mais terreno dos rebeldes.

Em uma das ofensivas mais letais da guerra, ataques aéreos e bombardeios do governo mataram centenas de pessoas ao longo de 12 dias em Ghouta Oriental, uma área de cidades e fazendas sitiadas que é o último grande bastião controlado por rebeldes perto da capital Damasco.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, conversou com os líderes de França e Alemanha a respeito da situação nesta sexta-feira. A França disse que o presidente Emmanuel Macron e Trump concordaram em trabalhar juntos para implantar um cessar-fogo apoiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) que não deteve o massacre, e pediram que a Rússia leve Damasco a respeitá-lo.

No sábado, o Conselho de Segurança da ONU pediu uma trégua nacional de 30 dias. Moscou, que apoia o governo sírio na guerra, pediu tréguas humanitárias diárias entre 9h e 14h (horário local).

O Departamento de Estado dos EUA desdenhou do plano russo de trégua humanitária, que classificou como "uma piada", dizendo que as pessoas hesitam em deixar a área por um "corredor humanitário" por medo do alistamento, do exílio ou da morte.

A guerra se agravou em várias frentes neste ano, quando o colapso do Estado Islâmico abriu caminho para outros conflitos entre a Síria e personagens estrangeiros como a Turquia, que disse que mais oito de seus soldados morreram combatendo milícias curdas na área de Afrin, no noroeste sírio.

As forças do governo, incluindo a Força Tigre de elite, estão atacando rebeldes na área de Maraj, em Ghouta Oriental, há vários dias. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos disse nesta sexta-feira que as forças capturaram dois vilarejos, Hawsh al-Dawahra e Hawsh Zreika, além de colinas e terras de cultivo.

Não foi possível contatar fontes rebeldes de imediato para obter comentários nesta sexta-feira.

Na quinta-feira o porta-voz do Jaish al-Islam, um dos principais grupos rebeldes em Ghouta Oriental, disse que as forças governamentais tentaram desviar sua atenção abrindo uma nova frente de batalha na área de Hazerma ao mesmo tempo em que lutavam na vizinha Hawsh al-Dawahra.

Os rebeldes usaram fogo de artilharia para incapacitar dois tanques.

(Por Tom Perry, Angus McDowall e Laila Bassam, em Beirute; Tom Miles e Stephanie Nebehay, em Genebra; Daren Butler, na Turquia; Paul Carrel, em Berlim; e Sarah White, em Paris)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos