Guru espiritual indiano é condenado a prisão perpétua por estuprar adolescente

Por Malini Menon

NOVA DÉLHI (Reuters) - Um tribunal indiano condenou a prisão perpétua um pregador religioso nesta quarta-feira por estuprar uma adolescente, o caso mais recente de abuso sexual envolvendo um chamado "deus-homem".

O caso destaca a fascinação de indianos com gurus espirituais, que exercem imensa influência por sua habilidade de mobilizar milhões de adeptos, acumular fundos não tributados e trocar favores com políticos.

Um juiz deu o veredito de culpado em uma cadeia na cidade de Jodhpur, no Estado de Rajasthan, onde Asumal Harpalani, conhecido popularmente como Asaram Bapu, está detido desde dezembro de 2013.

O homem de 77 anos, que tem mais de 400 ashrams ao redor do mundo segundo o seu site, teve pedido de fiança negado uma dúzia de vezes.

A advogada de defesa Sushma Dhara disse que iria contestar o veredito.

"A sentença vem como um grande alívio", disse Kiran Jha Thakur, que fundou a Kalpana, um grupo não governamental que ajudou a família da vítima a persistir no caso.

"Isso acaba mostrando que mesmo que você seja um 'deus-homem', se você comete um crime, nosso Judiciário pegará você", disse Thakur.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos