Rivais criticam Abbas por antecipar fórum político palestino

GAZA (Reuters) - Adversários políticos acusaram neste domingo o presidente palestino, Mahmoud Abbas, de antecipar uma rara e polêmica reunião nacional de tomada de decisão para marginalizá-los e assim aumentar seu controle sobre o poder.

Abbas anunciou para esta segunda-feira a convocação do Conselho Nacional Palestino (CNP), uma assembleia de 700 membros sob o guarda-chuva da Organização para a Libertação da Palestina, com o objetivo de criar uma frente unida contra Israel e os Estados Unidos.

Mas o evento em Ramallah, o centro palestino na Cisjordânia ocupada por Israel, reavivou antigas disputas entre o partido Fatah de Abbas e rivais de facções islâmicas e outros grupos, cujos membros não podem comparecer devido a restrições israelenses.

Na semana passada, 109 membros do CNP instaram Abbas a adiar a reunião para permitir maior participação. O pedido foi ignorado e, no domingo, a censura do presidente tornou-se mais aguçada.

"A reunião do CNP que será realizada em Ramallah não é legítima, é uma facção e não representa a todos os palestinos", disse Mushir Al-Masri, um parlamentar do grupo islamista Hamas, a repórteres em uma reunião de críticos do CNP em Gaza.

A Faixa de Gaza, sob o controle do Hamas desde 2007, tem sido foco de disputas internas palestinas. Embora o Hamas tenha formalmente se submetido mais uma vez à autoridade de Abbas no ano passado, a reconciliação entre as partes foi interrompida por disputas de poder.

(Por Nidal al-Mughrabi)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos