PUBLICIDADE
Topo

Forças de segurança atiram gás lacrimogêneo em manifestantes em Cartum, dizem testemunhas

31/12/2018 16h33

CARTUM (Reuters) - Forças de segurança atiraram gás lacrimogêneo em centenas de pessoas que tentavam marchar ao palácio do presidente Omar al-Bashir, em Cartum, capital do Sudão, nesta segunda-feira, para protestar contra preços crescentes e exigir que ele renunciasse. 

Oficiais fizeram dúzias de prisões, outros assistiram do topo de prédios e veículos armados com metralhadoras estacionaram nas ruas ao redor do protesto. 

Alguns na multidão cantaram: “O povo quer a queda do regime”, um slogan usado amplamente durante a Primavera Árabe de 2011, que derrubou líderes ao redor do mundo muçulmano. 

Raiva sobre o crescimento dos preços, falta de commodities básicas e crise de dinheiro abasteceram manifestações no Sudão nas últimas duas semanas. Figuras de oposição e alguns sindicatos convocaram uma marcha na capital nesta segunda-feira, véspera das comemorações da independência do Sudão. 

Ativistas acusam Bashir e seus serviços de segurança de usarem violência excessiva. Mas o ministro do Interior, Ahmed Bilal Othman, disse nesta segunda-feira que os protestos foram “limitados” e “tratados de acordo com a lei”. 

“Enquanto as manifestações sobre combustível e falta de pão podem ser justificadas, há entidades tentando usá-las para o caos… Vemos os protestos recuando”, disse à Reuters.

Em Cartum, nesta segunda-feira, a principal manifestação quebrou-se em protestos menores, disseram testemunhas. 

(Por Khalid Abdelaziz no Cairo)