PUBLICIDADE
Topo

Esboço de acordo prevê saída de tropas estrangeiras do Afeganistão em 18 meses

27/01/2019 13h05

Por Abdul Qadir Sediqi e Rupam Jain

CABUL/PESHAWAR, Paquistão (Reuters) - Autoridades do Talibã informaram que os negociadores norte-americanos concordaram, no sábado, com o esboço de um pacto que pretende estabelecer a retirada das tropas estrangeiras do Afeganistão dentro de 18 meses, possivelmente encerrando a mais longa guerra dos Estados Unidos.

     Os detalhes do esboço foram entregues à Reuters por fontes do Talibã após as negociações de seis dias no Catar com o enviado especial Zalmay Khalilzad e que visaram o fim do conflito, mais de 17 anos após a invasão do Afeganistão por forças lideradas pelos EUA.

Após a assinatura do acordo, estipula-se que as tropas deverão deixar o país dentro de 18 meses.

Apesar de nenhum comunicado conjunto ter sido divulgado, Khalilzad postou mais tarde em seu perfil no Twitter que as conversas tiveram "progressos significativos" e serão retomadas em breve, acrescentando que planeja viajar ao Afeganistão para se reunir com representantes do governo.

"As reuniões aqui (no Catar) foram mais produtivas do que no passado. Fizemos progressos significativos em questões vitais", escreveu, acrescentando que vários problemas ainda precisam ser trabalhados.

"Nada estará acertado até que tudo esteja acertado e deve incluir um diálogo intra-afegão e um abrangente cessar-fogo", escreveu.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, escreveu sábado no Twitter que havia recebido "notícias encorajadoras" de Khalilzad sobre as negociações.

    "Os EUA estão empenhados em buscar a paz, trazendo as tropas para casa e impedindo que o Afeganistão continue a ser um espaço para o terrorismo internacional", tuitou Pompeo, sem, no entanto, fornecer um cronograma para a potencial retirada das forças dos EUA.

Um comunicado do Talibã divulgado posteriormente também mencionou progresso na retirada de tropas e outras questões, mas informou que mais negociações e consultas internas são necessárias.

"A política do Emirado Islâmico durante as negociações foi muito clara: até que a questão da retirada das forças estrangeiras do Afeganistão seja aceita, o progresso em outras questões é impossível", disse o porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, usando outro nome.

     Não ficou claro se o esboço descrito pelas fontes do Talibã era aceitável para ambos os lados, assim como a data para a sua conclusão e assinatura.