PUBLICIDADE
Topo

Guaidó determina indicação de nova diretoria para PDVSA e Citgo

28/01/2019 20h35

Por Corina Pons

CARACAS (Reuters) - O líder da oposição e autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, disse nesta segunda-feira ter determinado que o Congresso dê início ao processo de nomeação de novas diretorias para a petroleira estatal PDVSA e para a refinaria Citgo, sediada nos Estados Unidos.  

O time de assessores de Guaidó está correndo para tomar controle do principal ativo estrangeiro da Venezuela, a refinaria Citgo Petroleum, antes de uma potencial inadimplência que pode deixar a companhia nas mãos de seus credores, disseram fontes com conhecimento das negociações à Reuters nesta segunda-feira.

Guaidó, que se autoproclamou presidente da Venezuela na semana passada e ainda não indicou um gabinete, enfrenta o complexo desafio legal de nomear uma nova liderança para a PDVSA, a companhia estatal de petróleo e gás, e para suas subsidiárias, incluindo a Citgo, que poderia administrar as companhias durante um governo de transição.

A medida acontece no momento em que os Estados Unidos anunciaram novas sanções contra a PDVSA, que envolvem limitar as transações da companhia com pessoas nos EUA, embora refinarias norte-americanas ainda possam importar o petróleo venezuelano, disse o secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, nesta segunda-feira.

Guaidó, que lidera o Congresso venezuelano controlado pela oposição, reivindicou a Presidência da Venezuela na semana passada, depois que o presidente Nicolás Maduro foi reeleito em uma votação amplamente considerada uma farsa.

Proprietários dos títulos mais monitorados da PDVSA, que vencem em 2020, devem receber pagamento de juros de 72 milhões de dólares até o final de abril. Esses títulos têm como garantia 50,1 por cento do capital da Citgo Holdings, o que quer dizer que, na ausência de pagamento, os credores podem assumir o controle da companhia.