PUBLICIDADE
Topo

Pompeo diz que mais encontros entre EUA e Coreia do Norte são possíveis, mas ainda não há planos

28/02/2019 14h24

MANILA (Reuters) - O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, disse nesta quinta-feira que os EUA e a Coreia do Norte poderiam realizar novas reuniões depois que uma segunda cúpula entre o presidente Donald Trump e o líder norte-coreano, Kim Jong Un, no Vietnã, terminou sem acordo, mas que ainda não há planos imediatos para isso.

    "Não marcamos um encontro", disse Pompeo a repórteres em um voo do Vietnã para as Filipinas. "Minha sensação é que vai demorar um pouco. Cada um de nós precisa se reagrupar um pouco. Mas estou muito esperançoso de que o representante especial (Stephen) Biegun e aquele time se reúnam em pouco tempo."

    "Mas vamos ver ... tem que haver uma razão para as conversas", disse Pompeo.

    Biegun, que liderou negociações a nível de trabalho com seu colega norte-coreano na preparação para a cúpula de Hanói, estava no avião com Pompeo, mas não falou com os repórteres.

    "Tem que haver uma teoria sobre como avançar", disse Pompeo. "Estou confiante de que existe uma. Eu já vi congruência suficiente entre o que os dois lados estão tentando realizar. Eu vi a boa vontade entre os dois líderes e assim espero que possamos elaborar um plano."

    Pompeo disse que os dois lados "limparam muita poeira" nas conversas a nível de trabalho nos últimos 60 a 90 dias.

    "E então nós estávamos esperando que pudéssemos dar outro grande passo quando os dois líderes se reunissem. Nós fizemos. Fizemos alguns progressos. Mas nós não chegamos tão longe quanto esperávamos."

     Trump disse que se afastou de um acordo nuclear com Kim no Vietnã, na quinta-feira, por causa das exigências que considerou inaceitáveis ​​do líder norte-coreano de suspender as sanções lideradas pelos EUA.

    Pompeo disse que Kim reiterou que estava totalmente preparado para desnuclearizar e manter o congelamento dos testes nucleares e de mísseis, enquanto Trump afirmou que ainda está comprometido em não realizar exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul.

    "Portanto, ainda há uma base para acreditar que podemos avançar", disse Pompeo, acrescentando que "ainda há muito trabalho a ser feito" para alcançar a desnuclearização.

    Pompeo se recusou a dar detalhes das negociações, mas, quando questionado se exigência norte-coreana para retirar totalmente as sanções era duradoura nas negociações ou algo demandado aos EUA no último minuto, ele respondeu: "Eu vou dizer que não fomos surpreendidos por muita coisa."

(Reportagem de David Brunnstrom e Susan Heavey)