PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
15 dias

CORREÇÃO-Reino Unido quer liberar viagens, mas está receoso com riscos, diz ministro

A irritação com as restrições rígidas e onerosas sobre as viagens ao exterior está crescendo no Reino Unido - Por Sarah Young e Guy Faulconbridge
A irritação com as restrições rígidas e onerosas sobre as viagens ao exterior está crescendo no Reino Unido Imagem: Por Sarah Young e Guy Faulconbridge

24/06/2021 08h51

(Corrige título para esclarecer que receio é com riscos de disseminação da Covid-19)

Por Sarah Young e Guy Faulconbridge

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido quer permitir que as pessoas passem férias no exterior novamente, mas o governo está cauteloso com os riscos colocados pela pandemia de Covid-19, disse um ministro do país nesta quinta-feira, antes do anúncio sobre se uma lista ainda pequena de países livres da necessidade de quarentena será ampliada.

A irritação com as restrições rígidas e onerosas sobre as viagens ao exterior, está crescendo: pilotos, comissários, agentes de viagem e outros funcionários da indústria de turismo realizaram protestos na quarta-feira, implorando ao governo para que abra mais rotas.

Cidadãos britânicos estão essencialmente impedidos de viajar para a maioria dos países --incluindo os da União Europeia-- pois as regras de quarentena e testagem são rígidas e caras.

"Pessoalmente, eu quero que voltemos à posição onde podemos apoiar aqueles que querem viajar", disse o secretário do Meio Ambiente, George Eustice, à Sky News quando perguntado se os britânicos poderão em breve estar nas praias das Ilhas Baleares, na Espanha.

"Mas é difícil, estamos sendo cautelosos", acrescentou ele, dizendo que há um risco de novas variantes do coronavírus surgirem em outros países mais resistentes à vacinação.

O secretário dos Transportes, Grant Shapps, irá nesta quinta dizer se algum novo destino será incluído na "lista verde" britânica, em meio a especulações de que as restrições podem ser amenizadas para ilhas espanholas, como Ibiza.

(Reportagem de Guy Faulconbridge e Sarah Young)

Internacional