Índia concorda em retirar soldados das Maldivas, afirma presidente do arquipélago

NOVA DÉLHI (Reuters) - O governo da Índia concordou em retirar seus soldados das Maldivas, disse o presidente do arquipélago do Oceano Índico, Mohamed Muizzu, neste domingo.

Muizzu venceu as eleições presidenciais em setembro, e uma de suas promessas de campanha era alterar a política "Índia em primeiro lugar" das Maldivas e pedir a remoção de um pequeno contingente militar indiano de cerca de 75 homens.

"Nas discussões que tivemos, o governo indiano concordou em remover os soldados deles do nosso país”, disse Muizzu aos jornalistas. "Também concordamos em criar um comitê de alto nível para resolver questões relacionadas aos nossos projetos de desenvolvimento."

Muizzu fez estes comentários após acordos alcançados em reuniões paralelas durante a COP-28, encontro mundial sobre o clima, com as autoridades indianas.

O Ministério das Relações Exteriores da Índia ainda não respondeu à solicitação de comentário neste domingo.

A Índia e a China têm disputado influência na região, sendo a coligação que apoia Muizzu considerada mais inclinada pró-China.

A maior parte do contingente militar indiano estava nas Maldivas para operar e administrar dois helicópteros e uma aeronave Dornier cedidos às Maldivas pela Índia.

(Reportagem de Mohamed Junayd em Malé e Krishn Kaushik em Nova Délhi)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes