Presidente da COP28 nega que não respeita ciência climática

Por Gloria Dickie

DUBAI (Reuters) - O presidente da COP28, Sultan Al Jaber, defendeu seu papel de anfitrião da cúpula climática da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta segunda-feira e insistiu que entende e respeita a ciência por trás das mudanças climáticas.

Em uma coletiva de imprensa, Al Jaber respondeu a uma reportagem de 3 de dezembro do jornal The Guardian sobre comentários que ele fez no mês passado sobre a eliminação progressiva dos combustíveis fósseis, que geraram críticas na COP28.

"Estou bastante surpreso com as constantes e repetidas tentativas de minar o trabalho da presidência da COP28", disse Al Jaber nesta segunda-feira.

A reportagem do The Guardian citou Al Jaber dizendo, durante um evento online em 21 de novembro, que "não há ciência ou cenário que diga que a eliminação progressiva dos combustíveis fósseis é o que vai atingir 1,5°C".

Durante a coletiva de imprensa desta segunda-feira, Al Jaber reclamou aos repórteres que "uma declaração tirada do contexto com deturpação" havia recebido "cobertura máxima".

A agência de ciência climática da ONU, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), afirmou que para limitar o aquecimento a 1,5°C até 2050 é necessário reduzir bastante o uso de combustíveis fósseis e eliminar o uso de carvão cuja emissão não possa ser diminuída.

O presidente do IPCC, Jim Skea, juntou-se a Al Jaber na coletiva e disse que teve várias reuniões com o chefe da COP28 sobre ciência climática. "O dr. Sultan esteve atento à ciência conforme a discutimos, e acho que ele a entendeu completamente", disse Skea.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes