PUBLICIDADE
Topo

França: maternidade é indiciada por morte de gestante causada por anestesista bêbada

25/07/2018 10h34

Uma maternidade situada em Orthez, no sudeste da França, foi indiciada novamente nesta quarta-feira (25) pela morte de uma gestante em 2014, provocada pela negligência de uma anestesista que estava bêbada na noite do parto. A médica belga Helga Wauters, 47 anos, foi acusada de homicídio involuntário.

No dia 29 de setembro de 2014, Helga Wauters foi encarregada de acompanhar o parto de uma jovem de 28 anos. A médica administrou uma anestesia peridural na gestante e deixou a clínica para beber na casa de amigos. Só que a paciente teve complicações no parto e precisava de uma cesariana. O estabelecimento ligou então para a médica belga, que estava bêbada.

De volta à sala de operação, ela utilizou um balão manual para ajudar sua paciente a respirar, em vez de usar um aparelho disponível no bloco. Em seguida, entubou as vias digestivas em vez das vias respiratórias. A paciente sofreu uma parada cardíaca e foi transferida para o hospital de Pau, na Aquitânia, onde morreu. O bebê foi salvo. Além da anestesista belga, uma obstetra presente na maternidade também foi indiciada em 2016 por “omissão de socorro”.

Advogada defende maternidade

O drama acelerou o fechamento da clínica, que enfrentava problemas para recrutar profissionais. O advogado da maternidade de Orthez, Thierry Sagardoytho criticou a medida da Justiça. A clínica já havia sido indiciada em 2017, mas o inquérito foi suspenso. Ela declarou que irá entrar com um novo recurso pedindo o cancelamento da ação. A justificativa é que o processo não faz sentido antes de os responsáveis do estabelecimento serem ouvidos novamente pela Justiça.