PUBLICIDADE
Topo

Brexit: Grã Bretanha ameaça sair da União Europeia mesmo sem acordo

Mães do movimento Extinction Rebellion protestam com seus filhos às portas do Partido Brexit, em Londres, antes das eleições gerais - Steve Taylor/SOPA Images/LightRocket via Getty Images
Mães do movimento Extinction Rebellion protestam com seus filhos às portas do Partido Brexit, em Londres, antes das eleições gerais Imagem: Steve Taylor/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

06/09/2020 10h53

Alguns dias antes do início da rodada final de negociações sobre um acordo para a saída da Grã Bretanha da União Europeia, continua a queda de braço entre Londres e europeus sobre os termos de suas futuras relações.

O responsável britânico pelas negociações, David Frost, preveniu, em uma entrevista para o jornal The Mail desse domingo (6), que o Reino Unido não vai ceder diante da União Europeia e que está preparado para uma saída sem acordo da UE.

"Nós chegamos depois de um governo e uma equipe de negociação que blefou", declarou Frost. "A União Europeia se acostumou a não nos levar a sério", afirmando que o Reino Unido não vai se transformar em um "estado cliente" da UE, sob os termos de nenhum acordo.

O Reino Unido deixou a União Europeia oficialmente em 31 de janeiro, mas os termos de saída do bloco devem ser definidos, fixando as futuras relações entre Londres e a União Europeia.

As negociações, que serão retomas na terça-feira (8), continuam bloqueadas principalmente em assuntos como a pesca. Londres insiste em uma total autonomia em matéria de subvenções e de exigências ao setor.

Cúmplices

Do outro lado do Canal da Mancha, o ministro francês de Relações Exteriores, Jean Yves Le Drian, declarou em entrevista à radio France Inter, neste domingo, que era urgente chegar a um acordo.

"Se queremos negociar um bom acordo, não adianta falar somente de assuntos que interessem a eles (britânicos). É preciso falar de temas globais da relação futura com o Reino Unido", disse o ministro.

No sábado (5), Clément Beaune, secretário de Estado francês encarregado de Assuntos Europeus desmentiu um possível afastamento de Michel Barnier, negociador chefe dos europeus sobre o Brexit, como foi sugerido na sexta-feira (4) pela imprensa britânica.

"Os britânicos tentaram dividir os europeus. Eles estavam convencidos, no momento da preparação do acordo de saída, que teriam cúmplices (...) E é o que eles estão tentando fazer", salientou Le Drian sobre as especulações a respeito do afastamento de Banier.

A Grã Bretanha continua sujeita às regras da UE até o final de 2020 enquanto as duas partes não chegam a um acordo sobre suas futuras relações.