PUBLICIDADE
Topo

Cacique Ninawa faz giro pela França para divulgar filme sobre situação dos indígenas no Brasil

20/09/2021 15h11

Uma delegação de indígenas brasileiros da Aliança Guardiães da Mãe Natureza está na França para acompanhar o lançamento oficial, na quinta-feira (24), do filme documentário Terra Libre, produzido pelo diretor Peter Gert-Bruch, fundador da ONG Planète Amazone.

Uma delegação de indígenas brasileiros da Aliança Guardiães da Mãe Natureza está na França para acompanhar o lançamento oficial, na quinta-feira (24), do filme documentário Terra Libre, produzido pelo diretor Peter Gert-Bruch, fundador da ONG Planète Amazone.

O documentário lembra várias décadas de luta do cacique Raoni e de sua comunidade para sensibilizar políticos, sociedade civil e grandes empresários sobre os efeitos devastadores da invasão da exploração de terras indígenas no Brasil por multinacionais, garimpeiros ilegais, pela construção de barragens, a agricultura intensiva e também ao desmatamento da floresta.

Uma turnê por várias cidades francesas, desde a capital Paris até municípios do interior, foi agendada para apresentar o filme documentário. A programação inclui discussões sobre a situação dos indígenas com membros da Aliança Guardiães da Mãe Natureza, como o cacique Ninawa, da etnia Huni Kuí, da região do Acre.

Primeira liderança indígena a pisar em território francês desde o início da pandemia da Covid-19, o cacique Naniwa veio ao país denunciar também os mais recentes ataques e as ameaças que pairam sobre as comunidades indígenas. Na entrevista à repórter Silvia Celi, o cacique falou sobre a luta dos povos que se sentem ainda fragilizados com as políticas do governo de Jair Bolsonaro, em um contexto de discussão na Corte Suprema do marco temporal.

"Atualmente estamos com uma luta muito grande, primeiro por conta do atual governo brasileiro. A maior luta que temos hoje é para defender nossos direitos tradicionais sobre nossos territórios, direitos constitucionais garantidos em 1988 na Constituição brasileira", afirma.

Na entrevista, o cacique Ninawa também falou da contribuição que o filme Terra Libre, realizado pelo fundador da ONG Planète Amazone, pode representar para a causa indígena.

"É muito importante a divulgação deste filme porque vai levar para a sociedade o que realmente está acontecendo e a conscientização de que a responsabilidade de cuidar da biodiversidade deste planeta é de todos", ressalta. O líder indígena destaca ainda a criação de uma petição para que os jovens franceses também possam se engajar neste combate de defender a natureza.

Cacique Ninawa comenta ainda o chamado de uma coalizão com parlamentares europeus para rever ações que não deram resultados positivos, como por exemplo, o artigo 6 do Acordo de Paris sobre a biodiversidade. "Temos que efetivar uma ação que possa trazer resultado positivo", destaca.

O cacique Ninawa também rechaçou na entrevista que comunidades indígenas vizinhas do Brasil estão sendo esquecidas. Questionado sobre os índios da Venezuela, por exemplo, que estão sofrendo não apenas com a Covid, mas também com o narcotráfico, o garimpo ilegal, o cacique Ninawa comentou que há contatos com indígenas de vários países da região Amazônia, apesar de um contexto difícil até pelas dificuldades financeiras.

"A ideia é fazer uma Aliança com todos esses indígenas. Mas ainda enfrentamos limitação financeira para fazer novos encontros com essas lideranças. A luta da Venezuela não é esquecida por nós. Somos solidários não apenas com os venezuelanos, mas também com os indígenas do Equador, Peru. Eles enfrentam as mesmas dificuldades que nós do Brasil também", conclui.