França descobre rede russa para divulgação de fake news e propaganda do Kremlin na Europa

O serviço Viginum, um organismo francês que combate as interferências digitais estrangeiras anunciou, na segunda-feira (12), que descobriu uma rede de páginas russas criadas para disseminar desinformação e propaganda do Kremlin na Europa e nos Estados Unidos.

Chamada de "Portal Kombat", a rede é "estruturada e coordenada", e inclui 193 páginas da web com informações muito similares entre si, segundo o organismo estatal, que investigou os portais entre setembro e dezembro de 2023. As páginas disseminam "conteúdo pró-russo destinado a um público internacional", especialmente nos países que apoiam a Ucrânia, indicou a instituição.

Segundo o jornal francês Le Monde, as páginas russas são destinadas também a alimentar a divulgação de fake news nas redes sociais. No fim do ano passado, uma conta no X (antigo Twitter), de um suposto jornalista chamado Jules Vincent, publicou uma longa mensagem escrita e em áudio que acusava a Ucrânia de vender terras ao filho do bilionário George Soros para o descarte de resíduos tóxicos. Mas, segundo a publicação, Jules Vincent não existe, e nos dias que se seguiram a mensagem foi compartilhada por uma série de sites, que fazem parte dessa rede.

Propaganda pró-Rússia

Vários dos portais têm a palavra "pravda" ("verdade", em russo) como nome de domínio e possuem um indicativo distinto conforme os idiomas. A página destinada a ser lida na Espanha, por exemplo, chama-se pravda-es.com. Para os países de língua inglesa, é pravda-en.com.

Entre 23 de junho e 19 de setembro, essas páginas publicaram mais de 15 mil artigos, principalmente baseados em declarações, mídias ou publicações de personalidades russas ou pró-russas, apontou o Viginum. Outras 180 páginas, digitalmente ligadas à rede Pravda, disseminam conteúdos semelhantes em russo, conforme descoberto pela agência francesa.

"O 'Portal Kombat' é a pequena ponta de um iceberg de desinformação, ligada à expansão dos sites digitais e à explosão das redes sociais", afirma uma fonte oficial francesa.

Invasão da Ucrânia

O objetivo do "Portal Kombat" é justificar a invasão russa na Ucrânia, indicou uma fonte diplomática francesa. "Muito orientados ideologicamente, esses conteúdos expõem narrativas que são claramente imprecisas ou enganosas", advertiu.

Continua após a publicidade

"Os artigos difundidos servem principalmente para cobrir o conflito na Ucrânia, por um lado apresentando a invasão russa de forma positiva às populações ocidentais, e, por outro lado, difamando a Ucrânia e os seus líderes, regularmente apresentados como 'corruptos', 'nazistas' ou 'incompetentes'", diz o relatório Viginum.

Ecossistema complexo

Segundo o relatório, a audiência destes sites parece muito limitada: "segundo a ferramenta SimilarWeb, o tráfego médio nos portais do ecossistema Pravda durante o mês de novembro de 2023 foi de cerca de 31 mil visitas. O site destinado à França é também o menos visitado, um padrão que lembra a dificuldade de outros sites identificados em campanhas de propaganda pró-Rússia na Europa que lutam para obter visibilidade real.

Entretanto, a rede "Portal Kombat" é mais um exemplo do complexo ecossistema que hoje serve para divulgar narrativas pró-Rússia tanto entre as populações de língua russa como europeias. Certas fontes amplificadas pelos sites desta rede são elas próprias meios de informação provavelmente criados para repetir narrativas favoráveis ??à Rússia, constituindo assim um emaranhado de sites que obscurece a identidade dos intervenientes que operam em campanhas de fake news e influência.

Uma fonte militar alertou que existe a possibilidade de que as páginas do "Portal Kombat" sejam impulsionadas novamente no futuro.

(Com Le Monde e AFP)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes