Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/ciencia/album/2012/08/06/curiosity-pousa-com-sucesso-em-marte.htm
  • totalImagens: 89
  • fotoInicial: 89
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20120806104650
    • Marte [14535]; Ciência [45097]; Astronomia [9158]; Nasa [12445]; Sistema solar [12433];
Fotos
ago.2012 - A imagem, capturada da Nasa TV, mostra a roda do robô Curiosity em uma cratera de Marte. A missão não tripulada estudará a possibilidade de ter havido vida no planeta vermelho Reuters/Nasa TV Mais
ago.2012 - Trabalhadores do laboratório da Nasa (agência espacial americana) comemoram o pouso do robô Curiosity em uma cratera de Marte. A descida pela atmosfera do planeta, após uma viagem da Terra de 570 milhões de quilômetros, foi chamada de "sete minutos de terror" por conta das manobras de alto risco que reduziram a velocidade da nave de 20 mil km/h para apenas 1m/s, o que permitiu que as rodas do jipe-robô tocassem a superfície da cratera suavemente Michael Nelson/EFE Mais
ago.2012 - O engenheiro de telecomunicações Peter Ilott abraça uma colega ao celebrar o pouso do robô Curiosity em uma cratera de Marte. A missão não tripulada estudará a possibilidade de ter havido vida no planeta vermelho Brian van der Brug/AFP Mais
ago.2012 - A imagem, obtida pelo telescópio Hubble da Nasa (agência espacial americana), mostra Marte. Após sua chegada à superficie de Marte, o explorador Curiosity iniciará uma revisão de todos seus sistemas antes de começar a enviar informações e dados vindos do planeta vermelho Nasa/AP Mais
ago.2012 - Kelley Clarke comemora o pouso do robô Curiosity em uma cratera de Marte. Toda a equipe da Nasa (agência espacial americana) em Pasadena, na Califórnia, celebrou com gritos e abraços o sucesso inicial da missão na qual muitos já trabalham há cerca de 10 anos Brian van der Brug/Reuters Mais
ago.2012 - Gestores da missão para Marte, Richard Cook, Pete Theisinger e Adam Steltzner felicitam membros da equipe após o pouso do robô Curiosity em uma cratera de Marte. O veículo deve executar a primeira fase de sua missão em 98 semanas, mas a expectativa é que continue suas pesquisas por cerca de uma década Fred Prouser/Reuters Mais
ago.2012 - Steve Collins, da Nasa (agência espacial americana), fica apreensivo durante os "sete minutos de terror". A descida do robô Curiosity em uma cratera de Marte teve esse apelido por conta das manobras de alto risco que reduziram a velocidade da nave de 20 mil km/h para apenas 1m/s, o que permitiu que as rodas do jipe-robô tocassem a superfície da cratera suavemente Brian van der Brug/EFE Mais
ago.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), foi obtida por um dos instrumentos presentes no robô Curiosity e mostra sua descida à superfície de Marte Nasa/AFP Mais
ago.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra vista da paisagem a norte do robô Curiosity. A imagem capturou a borda da cratera Gale e está escura devido a uma tampa de poeira que precisou ser colocada durante o pouso Nasa/AFP Mais
ago.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra uma das primeiras imagens obtidas pelo robô Curiosity Nasa/AFP Mais
ago.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana) e obtida pelo robô Curiosity, mostra características da superfície de Marte, incluindo dunas escuras, crateras de impacto e pequenas escarpas Nasa/AFP Mais
ago.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra a superfície de Marte um minuto antes do robô Curiosity pousar no planeta vermelho. Segundo os dados obtidos, as características geológicas do planeta inclui dunas escuras, crateras de impacto e pequenas escarpas Nasa/AFP Mais
ago.2012 - A imagem em alta resolução, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra uma das primeiras imagens obtidas pelo robô Curiosity Nasa/AFP Mais
ago.2012 - Nasa divulga imagem em 3D do local onde o jipe-robô Curiosity pousou em Marte. O registro foi feito por uma das câmeras do veículo logo após a chegada no Planeta Vermelho Reuters Mais
ago.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra o robô Curiosity em Marte. Segundo Jennifer Trosper, uma das responsáveis pela missão, o mastro da Curiosity, dotado de duas câmeras (Mastcam), que agem como dois olhos do robô, já está em posição de obter imagens panorâmicas de alta definição EFE/Reuters Mais
ago.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra um close do local em que foi realizado o pouso do robô Curiosity, em Marte. A escavação do solo revela um provável afloramento rochoso que mostra a profundidade do solo nesta área. Segundo Jennifer Trosper, uma das responsáveis pela missão, o problema que impedia o bom funcionamento dos instrumentos meteorólogicos da sonda já foi resolvido Nasa/AFP Mais
ago.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra o robô Curiosity em Marte. A fotografia foi tirada de uma câmera localizada no mastro com capacidade de tirar fotos de 360 graus. Segundo Jennifer Trosper, uma das responsáveis pela missão,os dados térmicos mostram que as temperaturas encontradas pela Curiosity são menos frias que o esperado Nasa/Reuters Mais
ago.2012 - Múltiplas imagens formam uma vista panorâmica do jipe-robô em Marte. À direita está o Monte Sharp e, ao centro, é possível ver o aro ao norte da cratera Gale AP/Nasa Mais
ago.2012 - Imagem obtida pelas câmeras do Curiosity mostram a sombra do mastro do robô AFP/Nasa/JPL-Caltech Mais
ago.2012 - Composição mostra imagem feita pelo jipe-robô antes e depois que a cobertura de poeira é removida da lente AFP/Nasa/JPL-Caltech Mais
ago.2012 - Múltiplas imagens formam uma vista panorâmica do jipe-robô em Marte. O Curiosity irá para as encostas mais baixas do Monte Sharp para investigar a geologia do planeta vermelho em detalhes Nasa/AFP Mais
ago.2012 - Autorretrato do robô Curiosity em Marte EFE/Nasa Mais
ago.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra o monte Sharp ao horizonte EFE/Nasa Mais
ago.2012 - A imagem mostra o contexto geológico do local previso para o pouso do Curiosity. O jipê-robo desceu ao solo na área 51 do mapa Reuters/Nasa Mais
ago.2012 - O jipe-robô Curiosity pousa dentro de cratera de Marte em foto feita pela HiRISE, câmera de alta resolução da Nasa (agência espacial americana). A mancha azulada no canto da imagem mostra a chegada do equipamento de exploração ao planeta - as cores usadas dão mais profundidade e melhor resolução para diferenciar as sutis variações que existem no terreno. A parte de baixo da imagem, que traz o monte Sharp, só deverá ser divulgada nos próximos cinco dias. AFP/Nasa/JPL-Caltech/University of Arizona Mais
ago.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra parte do robô Curiosity. A borda da cratera Gale está localizada na parte mais clara da fotografia AFP Mais
ago.2012 - Antes dar início a sua primeira missão de prospecção em Marte, o robô Curiosity utilizou pela primeira vez seu raio laser para destruir uma rocha do tamanho de um punho e testar a funcionalidade do aparato. Segundo a Nasa, o Curiosity utilizou o laser da chamada ChemCam na rocha N165, apelidada como "Coroação". Neste teste, o robô Curiosity disparou 30 vezes seu laser por um período de 10 segundos Reuters/NASA Mais
ago.2012 - Imagem obtida pelo Curiosity mostra uma das rodas do robô AFP/Nasa Mais
ago.2012 - Imagem obtida pelo Curiosity mostra o solo de Marte AFP/Nasa Mais
ago.2012 - Curiosity faz o primeiro percurso e deixa marcas de pneu no solo de Marte, anunciam engenheiros da Nasa (agência espacial norte-americana). O robô percorreu cerca de 4,5 metros e fez vários giros entre 90 e 180 graus na superfície do planeta vermelho na madrugada desta quarta-feira (22) Nasa/JPL-Caltech/Handout/AFP Mais
ago.2012 - A Nasa (agência espacial norte-americana) divulgou nesta quinta-feira (23) imagem em alta-definição dos momentos que antecederam o pouso do Curiosity em Marte. O escudo de calor, uma estrutura acoplada ao robô, foi ejetada durante a descida ao solo do planeta vermelho Nasa/JPL-Caltech/MSSS/AFP Mais
ago.2012 - Panorâmica colorida mostra a visão que o Curiosity tem de Marte a partir do local do seu pouso. O monte Sharp, que está a 20 quilômetros de distância do robô, aparece no topo do mosaico feito com 130 fotografias de alta-resolução Nasa/Handout/Reuters Mais
ago.2012 - Curiosity andou cerca de 16 metros dos 400 metros previstos no seu 22º dia em Marte. O jipe-robô caminha em direção ao leste do seu pouso para a região de Glenelg, onde ele vai usar sua broca para perfurar e analisar rochas marcianas NASA/JPL-Caltech Mais
set.2012 - Curiosity usou a câmera Mahli, que fica acoplada no seu braço, para fazer um autorretrato na última sexta-feira (7). Divulgada pela Nasa (agência espacial norte-americana) apenas no fim de semana, a fotografia foi feita com a tampa sobre a lente para verificar se havia detritos ou poeira que pudessem danificar o equipamento antes de retirar a proteção NASA/JPL-Caltech/Malin Space Science Systems/AFP Mais
set.2012 - A Nasa (agência espacial norte-americana) retirou pela primeira vez a tampa protetora da câmera Mahli, que fica acoplada no braço do Curiosity. Como uma camada de poeira cobria o equipamento, o robô não conseguia imagens tão detalhadas do solo do planeta, como esta feita no seu 33º dia em Marte NASA/JPL-Caltech/Malin Space Science Systems/AFP Mais
set.2012 - O Curiosity está prestes a recolher a sua primeira rocha de Marte desde o pouso de 6 de agosto. Com 25 centímetros de altura e 40 centímetros de largura, ela foi escolhida pela equipe da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) por ter um formato inusitado, o de uma pirâmide egípicia. A composição química da rocha, segundo a Nasa, será analisada nesta sexta-feira (21), quando o robô usará seus instrumentos de exploração - o Curiosity estava a 2,5 metros de distância quando detectou a pirâmide Nasa/JPL-Caltech Mais
set.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra o braço robótico do Curiosity analisando uma pedra no solo de Marte. Para identificar os elementos, o robô usa partículas alfa de raios-X que produz um feixe de laser que tem impacto na rocha e examina elementos dispersos. Técnicos da agência apelidaram a pedra de 'Jake Matijevic' em homenagem ao engenheiro-chefe de sistemas que operava na área do projeto Curiosity, que morreu em 20 de agosto, aos 64 anos de idade EFE/Nasa Mais
set.2012 - A Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) divulgou nesta quinta-feira (27) a primeira evidência encontrada pelo Curiosity de que Marte já teve água. Durante o trajeto até o monte Sharp, o robô viu marcas em rochas que podem ter sido feitas pela água corrente. Segundo o time de cientistas da agência, as formas arredondadas nas pontas de algumas pedras demonstram que elas foram feitas por um fluxo vigoroso de água, e não pela força do vento NASA/JPL-Caltech/MSSS Mais
out.2012 - O Curiosity fez uma série de oito fotografias de uma rocha para testar os equipamentos do seu braço robótico durante as atividades do seu 54º dia em Marte (que corresponde ao último dia 30 de setembro), divulgou a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) nesta terça-feira (2). A câmera Mahli ficou a 27 centímetros do topo da pedra 'Bathurst Inlet', que ocupa uma pequena área de 16 centímetros por 12 centímetros, criando uma sombra do robô no terreno acidentado Nasa/JPL-Caltech/Malin Space Science Systems Mais
out.2012 - A imagem, divulgada pela Nasa (agência espacial americana), mostra a erosão causada pelo vento no solo rochoso de Marte, apelidado de "Rocknest" Nasa/EFE Mais
out.2012 - A imagem obtida pelo robô Curiosity mostra a marca da roda no local chamado "Rocknest". O local apresenta erosão causada pelo vento no solo rochoso e os pesquisadores têm boas chances de examinar a distribuição e o tamanho das partículas que formam as ondulações no solo Reuters/Nasa Mais
out.2012 - Um pequeno objeto brilhante (na parte inferior da imagem) encontrado no solo de Marte pelo Curiosity despertou a curiosidade dos cientistas da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana). Os pesquisadores do Laboratório de Jato a Propulsão, que dirigem a missão de dois anos, suspenderam o uso do braço do robô por um dia para obter mais imagens do objeto. Depois da análise, a Nasa divulgou nesta terça-feira (9) que o pedaço brilhante parece fazer parte do sistema do próprio robô Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
out.2012 -Foto divulgada pela agência espacial norte-americana, a Nasa, mostra pedra encontrada pelo robô Curiosity na superfície marciana. A pedra se assemelha a similares em regiões vulcânicas da Terra Nasa/EFE Mais
out.2012 - Os cientistas da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) divulgaram nesta quinta-feira (18) que o Curiosity começou a analisar os pedaços brilhantes encontrados no solo de Marte na semana passada - a equipe chegou a cogitar que os objetos eram parte do material plástico do robô. Os exames devem ficar pronto dentro do prazo de um mês Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
out.2012 - O robô Curiosity fez novos registros das rochas de Marte para catálogo e análise dos cientistas da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana). A imagem acima foi feitas no 82º dia de missão (que equivale à última segunda-feira, 29 de outubro) com a câmera Mahli a cerca de 11,5 centímetros de distância da Burwash, rocha que fica na região conhecida como Rocknest Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
out.2012 - O robô Curiosity fez novos registros das rochas de Marte para catálogo e análise dos cientistas da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana). Esta imagens foi feita no 82º dia de missão (que equivale à última segunda-feira, 29 de outubro) com a câmera Mahli a cerca de 40 centímetros de distância da Et-Then, rocha que fica na região conhecida como Rocknest Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
out.2012 - O Curiosity fez sua primeira análise química do solo de Marte usando o Chemin, uma espécie de laboratório que existe dentro do robô, informou a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) nesta terça-feira (30). A amostra marciana, recolhida há cerca de duas semanas, tem composição semelhante a dos solos vulcânicos do Havaí. O instrumento detectou em Marte os minerais feldspato cristalino, piroxênio e olivina misturados a um material amorfo, assim como as rochas ígneas do Havaí. As cores do gráfico representam a intensidade dos raios X, sendo o vermelho o mais forte Nasa/JPL-Caltech/Ames Mais
nov.2012 - O robô Curiosity, que explora Marte há mais de três meses, usou seu braço mecânico para fazer cinco pequenas escavações no solo arenoso da região batizada como Rocknest - cada buraco tem cerca de cinco centímetros de largura.A última colherada, que provocou a maior marca na terra, foi coletada no 93º dia da missão de dois anos do robô - data que corresponde ao dia 9 de novembro na Terra -, e as amostras foram despejadas no laboratório de análises Sam, que fica dentro do próprio Curiosity, na semana passada. Segundo a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), esta foi a última vez que o robô fez coleta nesta duna de areia de Marte e deve, agora, se deslocar para outra região e perfurar uma rocha Nasa/JPL-Caltech Mais
dez.2012 - O Curiosity, que está há quase quatro meses em Marte, encerrou a complexa análise química do solo do planeta vermelho e descobriu moléculas de água, enxofre e um composto formado por cloro e oxigênio (perclorato) nas amostras coletadas na duna de areia Rocknest. Segundo a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), o composto tem partículas de carbono, elemento orgânico da formação dos seres vivos, mas ainda não é possível afirmar se elas têm origem marciana ou se trata de uma contaminação que veio da Terra Nasa Mais
jan.2013 - O Curiosity usou pela primeira vez a ferramenta DRT, uma espécie de escova de cerdas motorizada que fica na ponta do braço do robô, para "varrer" a superfície de Marte. A sonda limpou uma área bem pequena (cerca de 47 milímetros por 62 milímetros) da rocha "Elkwir_1", que fica na cratera Gale, onde a sonda pousou há cinco meses. A DRT (sigla em inglês para Ferramenta de Remoção de Pó) foi usada no 150º dia da missão, que corresponde ao último domingo, 6 de janeiro Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
jan.2013 - A Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) divulgou nesta terça-feira (15) os "alvos" da primeira perfuração que será feita pelo Curiosity em Marte - a agência não informou datas da operação. Batizada de John Klein, a pequena área rochosa foi escolhida por ter "veias", protuberâncias e buracos que podem dar pistas sobre o passado "molhado" do planeta vermelho - ou seja, se rios, lagos e oceanos já se formaram na sua superfície. As imagens do local foram feitas pela câmera do Curiosity a 5 metros de distância no 153º dia da missão (que corresponde a 10 de janeiro) Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
jan.2013 - A Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) divulgou que o Curiosity está pronto para usar sua broca pela primeira vez em Marte. O robô posicionou seu equipamento na rocha John Klein, que fica na cratera Gale, no 170º dia da missão (que corresponde a 27 de janeiro) Nasa/JPL-Caltech Mais
fev.2013 - A broca do Curiosity passou no seu primeiro teste e está pronta para perfurar as três rochas de Marte, previamente selecionadas pela Nasa (Agência Espacial Norte-Americana). O equipamento do robô fez uma espécie de raspagem do local e, portanto, não chegou a perfurar a superfície do planeta vermelho. O teste foi executado no 176º dia da missão, que corresponde ao último dia 2 de fevereiro Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
fev.2013 - Buraco feito pelo robô Curiosity, da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), para coletar amostras de rocha de Marte. A primeira perfuração ocorreu em uma rocha chamada 'John Klein' no 182º dia de missão no planeta vermelho. O buraco tem 1,6 centímetro de diâmetro e 6,4 centímetros de profundidade. Ao lado, a perfuração de teste com o mesmo diâmetro, mas com profundidade de 2 centímetros Reuters/Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
fev.2013 - Robô Curiosity da Nasa faz um autorretrato na rocha chamada "John Klein" no 182º dia de missão em Marte, quando fez sua primeira perfuração para coleta de amostras do planeta vermelho Reuters/Nasa Mais
fev.2013 - O robô Curiosity mostra a primeira amostra de rocha em pó extraída após perfuração do solo de Marte, revela a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana). O solo empoeirado encontrado logo abaixo da superfície avermelhada do planeta na verdade tem uma tonalidade cinza clara Nasa/Reuters Mais
mar.2013 - Nasa encontra sinais de que Marte teve condições para a vida no passado. Usando dados coletados pelo robô Opportunity, à esquerda, na rocha "Wopmay", na Cratera Endurance; e pelo robô Curiosity, à direita, nas rochas "Sheepbed" em Yellowknife Bay, na Cratera Gale, os cientistas dizem que antigamente Marte pode ter tido vida microbiana. Eles identificaram enxofre, nitrogênio, hidrogênio, oxigênio, fósforo e carbono - alguns dos ingredientes químicos essenciais para a vida - no pó retirado pelo Curiosity no mês passado Nasa/JPL-Caltech/Cornell/MSSS Mais
mar.2013 - Nova análise do Curiosity detectou que os minerais de argila de Marte surgiram do hidrogênio que havia debaixo do solo, em uma nova evidência de que o planeta já teve condições de abrigar vida (o hidrogênio está presente na composição da água). Na semana passada, a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) anunciou que o jipe-robô encontrou vestígios de vida microbiana no planeta vermelho após análise dos minerais encontrados nas amostras coletadas de pó de rochas. Acima, o gráfico indica que os sinais mais altos de 'hidratação' do planeta (os pontos azuis mostram os níveis mais fracos e os vermelhos, os mais fortes) estão associados com a presença de veias e nós das rochas do planeta vermelho. "Água, água por toda parte, mas nem uma gota para beber", brinca o perfil do robô Curiosity no Facebook Nasa/JPL-Caltech/MSSS/ASU Mais
abr.2013 - A visão que o Curiosity tem do horizonte de Marte, com o Monte Sharp ao fundo, foi feita combinando dúzias de fotografias em 3D feitas pelas duas câmeras instaladas no robô nos dias 166, 168 e 169 da missão (que correspondem aos dias 23, 25 e 26 de janeiro, mas que só foram divulgadas agora). Como o planeta vermelho passa por trás do Sol em relação à Terra em abril, os cientistas da Nasa estão "poupando" o Curiosity neste mês por causa das interferências solares Nasa/JPL-Caltech Mais
mai.2013 - A Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) escolheu 'Cumberland' como o segundo ponto do planeta Marte que será perfurado pelo Curiosity. O novo alvo fica a exatos 2,75 metros de distância da rocha John Klein (mapa à direita), local onde o jipe-robô coletou as primeiras amostras de solo do planeta vermelho, em fevereiro de 2013. Cumberland foi escolhido por ter mais grãos resistentes à erosão que forma a superfície irregular de Marte (detalhe à esquerda) - as ondulações podem indicar locais com aglomerado de minerais, que poderiam confirmar a descoberta de que o planeta já teve condições de abrigar vida no passado. A data do início dessa segunda grande operação ainda não foi divulgada pela Nasa Nasa/JPL-Caltech/Univ. of Arizona & MSSS Mais
mai.2013 - Curiosity está pronto para fazer a segunda série de perfurações em Marte, anunciou a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) nesta sexta-feira (17). A intenção é coletar mais provas que confirmem os resultados da primeira coleta de rocha pulverizada, que indicou um ambiente favorável ao desenvolvimento de vida microbiana no passado do planeta vermelho. O jipe-robô posicionou a broca presa ao seu braço robótico sobre a Cumberland no 275º dia da missão, que corresponde ao dia 15 de maio. Segundo a Nasa, Curiosity já percorreu 727 metros em Marte desde a sua chegada em agosto passado Nasa/JPL-Caltech Mais
mai.2013 - Curiosity coletou amostras do solo de Marte após perfurar seu novo alvo, a área rochosa Cumberland, durante o 279º dia de sua missão (que corresponde a 19 de maio), anunciou a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana). O buraco, feito dois dias depois de o robô chegar ao local, tem 1,6 centímetro de diâmetro e 6,6 centímetros de profundidade. Com a nova rodada de análise, os cientistas pretendem confirmar os resultados da primeira perfuração na rocha John Klein, que fica a 2,75 metros de distância e indicou um ambiente favorável ao desenvolvimento de vida microbiana no passado do planeta vermelho Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
mai.2013 - A radiação a que um astronauta é exposto durante uma viagem a Marte aumentaria o risco de câncer fatal entre 3% a 5%, calcula a Nasa (Agência Espacial Norte-America), após analisar dados obtidos por um instrumento a bordo da MSL (ilustração acima). A cápsula transportou o robô Curiosity durante seu voo da Terra até Marte, entre novembro de 2011 e agosto de 2012. Dois tipos de radiação ameaçam os astronautas em viagens espaciais: os raios cósmicos galácticos (como explosões de supernovas) e as partículas que emanam do Sol Nasa/JPL-Caltech Mais
mai.2013 - O Curiosity encontrou novos indícios de que Marte já abrigou água em sua superfície antes de se tornar um planeta árido. Nos primeiros 40 dias da missão no planeta vermelho, o robô fotografou mais de 500 pedras (à esquerda) que são similares aos seixos encontrados nos leitos de rios do planeta Terra (à direita). Segundo a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), a superfície redonda e lisa dos pedregulhos foi formada como se tivessem "viajado longas distâncias pelo leito de um antigo rio" Nasa/JPL-Caltech/MSSS and PSI Mais
jun.2013 - Cientistas da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) enviaram na segunda-feira (5) comandos para o Curiosity se movimentar e começar a dirigir rumo à base do monte Sharp (ao fundo), localizado cerca de oito quilômetros a sudoeste de sua posição atual. Como a viagem deve durar meses, o robô fará três paradas para estudos científicos, como determinar o quanto mais seca fica essa região do planeta vermelho à medida que ele se afasta da baía Yellowknife Nasa/JPL-Caltech Mais
jul.2013 - Robô Curiosity olha para trás e fotografa marcas de sua roda ao deixar o último local de coleta científica em Marte, na região de Glenelg, e parte para seu destino final: o Monte Sharp. O robô percorreu 18 metros no 324 dia em Marte, o destino final está a 8 quilômetros dali e levará alguns meses para ser alcançado. No final de junho, o Curiosity terminou sua investigação sobre sedimentos encontrados na área chamada de Shaler. Em Shaler e Glenelg, o robô encontrou indícios de que o planeta vermelho já possuiu características favoráveis à vida microbiana. Agora, no Monte Sharp, a ideia é investigar como o ambiente do planeta evoluiu AFP/Nasa/JPL-Caltech Mais
jul.2013 - Novas medições da composição da atmosfera de Marte feitas pelo laboratório interno do Curiosity fornecem evidências sobre a perda da atmosfera do planeta vermelho. Os cientistas da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) suspeitam que uma catástrofe desligou o campo magnético do planeta vermelho quando tinha menos de 500 milhões de anos e o deixou exposto a fortes ventos solares que arrasaram quase toda a sua atmosfera. Segundo estudo publicado na revista "Science", Marte perdeu rapidamente quase todo seu ar, que era bem mais espesso, ficou parecido com nosso planeta. O problema é que a erosão continuou e, hoje, a atmosfera marciana é tão rarefeita que sua pressão é de menos de um centésimo do da superfície terrestre. Acima, imagem feita pela câmera do jipe-robô no 335 dia da missão, que corresponde a 16 de julho, após atingir a marca de um quilômetro percorrido desde agosto de 2012 Nasa/JPL-Caltech Mais
ago.2013 - Curiosity fez uma sequência da Phobos, a segunda maior lua de Marte, passando em frente ao Sol. As imagens do eclipse foram feitas com três segundos de diferença cada, no 369º dia da missão do robô, que corresponde ao último dia 17 de agosto na Terra. O Curiosity fez uma pausa na sua viagem rumo ao Monte Sharp para registrar esse fenômeno que pode ajudar os cientistas a entenderem melhor sobre a órbita dos satélites dos planetas, informa a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) Nasa/JPL-Caltech/Malin Space Science Systems/Texas A&M Univ Mais
set.2013 - Durante o 387º dia de sua missão em Marte - que corresponde ao dia 7 de setembro na Terra -, o Curiosity tirou uma série de fotos dos pedregulhos marcianos nessa área de Glenelg, batizada de "ponto de panorama" pelos cientistas da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), enquanto seguia em direção ao Monte Sharp. Algumas das rochas escolhidas para estudo estão a 75 metros de distância, portanto, o robô pode levar alguns dias para percorrer esse trecho Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
set.2013 - Curiosity fez sua primeira parada após dois meses de caminhada rumo ao Monte Sharp para analisar algumas pedras de Marte. "Yabba Dabba Doo!", escreveu o robô ao registrar o feito no Foursquare no dia 16 de setembro Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
set.2013 - As medições de alta precisão do robô Curiosity não encontraram vestígios de metano na atmosfera rarefeita de Marte no último ano, segundo a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), descoberta que contraria teorias anteriores - observações feitas a partir da Terra em 2003 indicavam grandes nuvens da substância, com concentração de até 45 partes por bilhão (manchas vermelhas, acima), no planeta vermelho. O gás é considerado um potencial indício de vida, já que é produzido por seres vivos na Terra, de micróbios a animais de grande porte Nasa/JPL Mais
nov.2013 - O site Ufo Sightings Daily encontrou esta foto de uma rocha (eles questionam que seja uma rocha, aí é com você) no formato de uma iguana entre as imagens do robô Curiosity em Marte Nasa Mais
nov.2013 - No começo de 2013, o site Ufo Sightings Daily identificou uma rocha (que eles acham que não é rocha) em uma das imagens do robô Curiosity em Marte que se parece com um esquilo Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
nov.2013 - Robô da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) faz uma brincadeira e posta uma autofoto em seu Facebook em homenagem da escolha da palavra "selfie" como a <a href="http://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/11/19/popularizada-por-autorretratos-selfie-e-eleita-a-palavra-do-ano.htm">palavra do ano pelo dicionário Oxford</a>, que seleciona a palavra mais usada no ano. "Oh, Dicionários Oxford... Precisa de uma ilustração para a Palavra do Ano de 2013? Aqui está algo para vocês considerarem #WOTYselfie", disse Nasa/Facebook Mais
dez.2013 - Ilustração mostra concepção de possível extensão de lago nos primórdios da cratera Gale, em Marte. Cientistas acreditam que a sonda Curiosity, enviada pela Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) a Marte, encontrou no planeta um local que já foi um lago com capacidade de abrigar vida, tendo teoricamente permitido que micróbios habitassem e se reproduzissem em suas águas Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
fev.2014 - Um mosaico de imagens da câmera de navegação da sonda Curiosity mostra o terreno para o oeste, a partir da posição da sonda, no 528º dia de Marte, em foto feita no dia 30 de janeiro e divulgada nesta segunda-feira (3). A sonda faz uma travessia há meses em uma área onde foram encontradas evidencias de antigas condições favoráveis à vida microbiológica Jpl-Caltech/Nasa/Reuters Mais
fev.2014- Pela primeira vez, o robô Curiosity que está em Marte fotografou a Terra e a Lua no horizonte no céu de uma noite no planeta vermelho Nasa/JPL-Caltech/MSSS/TAMU Mais
fev.2014 -No canto esquerdo da parte de baixo desta foto, há uma pedra. Mas não uma pedra comum. Ela é responsável por um enigma que intrigou a Nasa: o "mistério do donut marciano". No começo de janeiro deste ano, um pedaço de pedra em forma de donut apareceu repentinamente na frente da sonda terrestre Curiosity, sem nenhuma explicação. Mas os cientistas agora descobriram que o "donut" era apenas uma parte dessa pedra que você vê aí em cima. Solução do mistéro: robô da Nasa tinha atropeado a pedra e arrancou dela um pedaço em forma de donut Nasa Mais
fev.2014 - O robô Curiosity da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) completou mais 100 metros em seu percurso em Marte. A novidade? É que desta vez ele fez o caminho "de costas". Esta técnica foi usada para minimizar o gasto das rodas de alumínio do robô, que têm surpreendido os cientistas por se desgastar mais rápido do que o esperado desde que aterrissou no planeta vermelho em agosto de 2012. Vale lembrar que este é o maior percurso do robô em três meses Reprodução/Facebook Curiosity Mais
jun.2014 - Em imagem não datada, o jipe Curiosity, da Nasa, usa braço biônico e tira uma 'selfie' em solo marciano. O robô completa nesta terça-feira (24) 687 dias terrestres, um ano marciano, investigando nosso planeta vizinho. Cientistas, no entanto, comentam que esperava-se mais da missão, que custou U$ 2,5 bilhões (cerca de R$ 6 bilhões) NASA/JPL-Caltech/MSSS Mais
ago.2014 - O jipe Curiosity acabou de completar dois anos de passeios bem-sucedidos em Marte. Mas danos inesperados em suas rodas podem encurtar o tempo total da missão. Os cientistas da Nasa ficaram alarmados ao notar um buraco em uma das seis rodas do veículo, no 411º dia marciano da missão (chamados de "sóis", eles duram 24h39, um pouco mais do que as 24h do dia terrestres) NASA/JPL-Caltech/MSSS Mais
11.set.2014 - A sonda Curiosity da Nasa chegou ao monte Sharp que fica no centro da vasta cratera de Gale, em Marte, principal destino da sua missão de longo prazo. "Curiosity começará agora um novo capitulo da sua introdução já considerada excelente no planeta vermelho", afirma o diretor da Divisão Planetária da Nasa, Jim Green. A imagem mostra antigas e novas rotas do Curiosity. A nova oferece excelente acesso a muitos recursos na formação de Murray JPL-Caltech/Univ. of Arizona/Nasa Mais
11.set.2014 - Um mosaico colorido feito pelo robô Curiosity mostra o solo às margens dos vales na região de Pahrump Hills em Marte nesta foto divulgada pela Nasa nesta quinta-feira (11). Após 18 meses, os cientistas da agência espacial americana afirmaram que o robô Curiosity atingiu a base do monte Sharp antes do previsto REUTERS/NASA/JPL-Caltech/MSSS Mais
16.set.2014 - Essa imagem feita pela câmera Mahli acoplada na sonda Curiosity, da Nasa, obtida nesta sexta-feira (26), mostra um exemplo de um tipo de característica geometricamente distinta, que os pesquisadores estão investigando no afloramento argilito na base do monte Sharp, em Marte. Essa característica do afloramento "Pahrump Hills" é resultado de acumulações de materiais resistentes à erosão e se assemelha as encontradas na Terra, quando corpos d?água rasos que começaram a evaporar e minerais precipitaram a partir das salmouras concentradas JPL-CALTECH/MSSS/Nasa Mais
5.nov.2014 - Imagem mostra primeira perfuração do robô Curiosity, da Nasa (agência espacial americana), no monte Sharp, em Marte. Na ocasião, o robô encontrou um pó de rocha avermelhado com mais hematita do qualquer outra amostra obtida por ele ao longo da missão, que já completa dois anos.A hematita, um mineral de óxido de ferro, dá pistas sobre as condições ambientais do planeta durante sua formação e já havia sido mapeada antes mesmo do robô pousar no planeta vermelho Nasa/JPL-Caltech/MSSS Mais
27.nov.2014 - Imagem obtida pelo robô Curiosity, da Nasa (agência espacial americana), mostra a borda inferior de Pahrump Hills, na base do monte Sharp, em Marte. A superfície de Marte possui ondulações causadas pelos ventos de areia e poeira JPL-Nasa/AP Mais
8.dez.2014 - Leitos de arenito no sudoeste ao longo do monte Sharp e do lado de fora da cratera Gale, foram registrados pela sonda Curiosity em Marte. Os cientistas da Nasa que estudam os registros da Curiosity sobre o planeta vermelho anunciara nesta segunda-feira (8) que acreditam que o monte da Sharp pode ter se formado ao longo do tempo a partir de sedimentos de lagos JPL-Caltech/MSSS/Nasa Mais
9.dez.2014 - Esta rocha fotografada pela Câmera Mast (Mastcam) do robô Curiosity, da Nasa (agência espacial americana), mostra um padrão típico de um fundo de lago com depósito de sedimentos Nasa Mais
16.dez.2014 - O robô Curiosity, da Nasa (agência espacial americana), que explora Marte, detectou emissões regulares de metano, anunciaram nesta terça-feira (16) cientistas da missão, sem conseguir identificar a origem deste gás, que na Terra é gerado por organismos vivos e decomposição de matéria orgânica. A partir de dados coletados ao longo de 20 meses, os cientistas puderam constatar que o metano na cratera de Gale, onde o robô explorador pousou em agosto de 2012, era muito menor do que o previsto: aproximadamente metade do que esperavam detectar. No entanto, os níveis de metano nesta cratera são exorbitantes. Este gás "registra picos de aumento em 10 vezes, ou até mais em determinadas ocasiões ao longo de 60 dias marcianos", informaram os autores do estudo JPL-Caltech/MSSS/Nasa Mais

Veja imagens do jipe-robô Curiosity em Marte

ÚLTIMOS ÁLBUNS DE UOL CIÊNCIA

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos