Lucas Lima/UOL

Violência em São Paulo

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2016/11/12/cinco-jovens-sao-mortos-em-chacina-na-grande-sao-paulo.htm
  • totalImagens: 15
  • fotoInicial: 15
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20161112180047
    • SP [5110];
    • Notícias [35976]; Violência em São Paulo [64036]; Chacina [52080];
Fotos

13.nov.2016 - O corpo de Jones Ferreira Januário, 30, é enterrado cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo. Ele e outros quatro colegas foram mortos em uma chacina na Grande São Paulo. O funeral de Jones aconteceu separado dos demais porque, até a tarde de sábado (12), seu corpo ainda não havia sido liberado pelo IML (Instituto Médico Legal) Renato S. Cerqueira/ Futura Press/ Estadão Conteúdo Mais

13.nov.2016 - O corpo de Jones Ferreira Januário, 30, é enterrado no cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo. Ele e outros quatro colegas foram encontrados mortos no dia 6 de novembro último, vítimas de uma chacina na Grande São Paulo. O funeral de Jones aconteceu separado dos demais porque, até a tarde de sábado (12), seu corpo ainda não havia sido liberado pelo IML (Instituto Médico Legal) Renato S. Cerqueira/ Futura Press/ Estadão Conteúdo Mais

12.nov.2016 - Adriana Moreira chora sobre o caixão do filho, Jonathan Moreira Ferreira, 18, uma das cinco vítimas da chacina na Grande São Paulo. Quatro dos cinco jovens foram enterrados neste sábado no cemitério da Vila Alpina, em São Paulo, sob choro e gritos por justiça Marcelo Gonçalves/Sigmapress/Estadão Conteúdo Mais

12.nov.2016 - Mulher chora sobre o caixão de um dos jovens mortos, durante funeral, na tarde deste sábado, no cemitério da Vila Alpina, em São Paulo. Um dos cinco jovens, Jones Ferreira Januário, 30, não foi enterrado junto com os demais porque seu corpo ainda não havia sido liberado pelo IML (Instituto Médico Legal) Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo Mais

12.nov.2016 - Caixão com o corpo de um dos jovens vítimas de chacina em São Paulo é levado, após o velório, para ser enterrado no cemitério da Vila Alpina, zona leste de São Paulo. "Se despedir deles juntos é um gesto de carinho", disse Sarah Santos, 14, prima de Robson Fernando Donato de Paula, 16, um dos cinco mortos. "Eu conhecia todos", afirma Fernando Couri/UOL Mais

12.nov.2016 - Ativistas da ONG Rio de Paz, que luta contra a violação de direitos humanos, realizaram uma manifestação no cemitério com uma faixa com os dizeres: "Governo do Estado de São Paulo, quem matou os cinco?" Renato S. Cerqueira/ Futura Press/ Estadão Conteúdo Mais

12.nov.2016 - "A intenção desse ato é cobrar o governo do Estado pela elucidação rápida do caso. Quanto mais rápido for elucidado o crime, melhor se garante que não haja impunidade", diz Fernanda Vallim Martos, coordenadora da ONG Rio de Paz, que luta contra a violação de direitos humanos e fez manifestação durante o funeral Renato S. Cerqueira/ Futura Press/ Estadão Conteúdo Mais

12.nov.2016 - A pedido das famílias, os quatro foram velados juntos, do lado de fora das salas de velório. Um guarda civil municipal de Santo André (região do ABC paulista) foi preso suspeito de participação nas mortes Hélvio Romero/Estadão Conteúdo Mais

12.nov.2016 - Os corpos chegaram ao cemitério da Vila Alpina, zona leste de São Paulo, por volta das 16h deste sábado e foram recebidos com muito choro. Na foto, Adriana Moreira (à direita), mãe de Jonathan Moreira Ferreira, 18, é consolada durante o funeral do filho Peter Leone/Futura Press/Estadão Conteúdo Mais

12.nov.2016 - O velório e enterro coletivo de quatro dos cinco jovens mortos aconteceu na tarde deste sábado, no cemitério da Vila Alpina, em São Paulo. Jones Ferreira Januário não foi enterrado junto com os demais porque seu corpo ainda não havia sido liberado pelo IML (Instituto Médico Legal) Peter Leone/ Futura Press/ Estadão Conteúdo Mais

11.nov.2016 - A delegada Elisabete Sato, chefe do DHPP (Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa), participa de entrevista coletiva, em São Paulo. A chacina teria sido cometida na Grande São Paulo como vingança pela morte de um guarda civil municipal de Santo André (região do ABC paulista). Os jovens teriam sido emboscados quando estavam a caminho de uma festa em Ribeirão Pires (Grande São Paulo) e seus corpos foram achados em Mogi das Cruzes (Grande São Paulo), no dia 6 de novembro último Chello/FramePhoto/Estadão Conteúdo Mais

10.nov.2016 - Manifestantes acendem velas na entrada do prédio da Secretaria de Estado da Segurança Pública de São Paulo, na capital paulista, em protesto contra a morte dos cinco jovens Cris Faga/Fox Press Photo/Estadão Conteúdo Mais

7.nov.2016 - Familiares dos jovens desaparecidos foram ao IML (Instituto Médico Legal Central de São Paulo para ajudar no reconhecimento dos corpos, encontrados no dia anterior, em Mogi das Cruzes (Grande São Paulo) Renato S.Cerqueira/Estadão Conteúdo Mais

6.nov.2016 - Os corpos dos cinco jovens foram encontrados 16 dias depois, em 6 de novembro, em uma área rural de Mogi das Cruzes (Grande São Paulo), em estado avançado de decomposição. Eles haviam sido enterrados em covas rasas e cobertos com cal (que acelera a decomposição). Um guarda civil municipal de Santo André (região do ABC paulista) foi preso suspeito de participação nas mortes Hélio Torchi/Estadão Conteúdo Mais

Jones Ferreira Januário, 30, César Augusto Gomes Silva, 19, Jonathan Moreira Ferreira, 18, Caíque Henrique Machado Silva, 18, e Robson Fernando Donato de Paula, 16, desapareceram no dia 21 de outubro último, quando supostamente seguiam para uma festa em Ribeirão Pires (Grande São Paulo). Eles viviam no distrito de São Rafael (Jardim Rodolfo Pirani e cercanias), no extremo leste de São Paulo Reprodução Mais

Cinco jovens são mortos em chacina na Grande São Paulo

Últimos álbuns de Notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos