Velhas ideias podem levar a novas aventuras

Richard Branson

Richard Branson

  • Reprodução/ Amanda Baker/Virgin Portraits

Há momentos em que você pode ter uma ideia com a qual realmente se empolga, mas todo mundo considera implausível, inviável ou simplesmente tolice. Essas pessoas podem estar certas... mas e se não estiverem?

E se, com um pouco de moldagem e ajuste, sua ideia tiver o potencial de se transformar em um empreendimento maravilhoso?

Tendo isso em mente, considere uma ideia que tive e que levou décadas para se tornar realidade. Desde a infância, eu sempre amei ilhas. Quando era pequeno, eu me recordo de ser transportado para terras estranhas e mágicas após ler "A Ilha do Tesouro" de Robert Louis Stevenson e "Os Cinco na Ilha do Tesouro"  de Enid Blyton. Eu sonhava acordado em ser um náufrago, ou viver uma vida de pirata de sol, mar e aventura. (Tenho certeza que essas imaginações de minha infância tiveram muito a ver com minha decisão de comprar a Ilha Necker.)

Anos depois, um livro de autoria de Kit Williams, seu fantástico "Masquerade" (não lançado no Brasil), reacendeu meu amor de infância por aventuras em ilhas e caças ao tesouro em particular. Ele transformou todos no Reino Unido em caçadores de tesouros quando foi lançado em 1979. O livro contava com imagens elaboradas e charadas que escondiam pistas sobre a localização de um tesouro (uma joia dourada em formato de lebre) enterrado em algum lugar no Reino Unido. Eu estava entre os milhares de leitores que tentaram febrilmente decifrar as pistas escondidas no livro.

Outra pessoa acabou o encontrando, mas a busca renovou meu interesse por caças ao tesouro. Eu decidi que elaboraria uma para a Virgin, mas, infelizmente, na época não fazia sentido para a empresa, porque já estávamos ocupados demais com muitas coisas.

Aproveitando, gostaria de apontar que as habilidades que tornam um caçador de tesouros bem-sucedido são semelhantes às necessárias para lançar um negócio de sucesso.

–É preciso fazer bom uso de toda a informação e ferramentas disponíveis, além de ser necessário se preparar meticulosamente antes de começar.

–É preciso contar com algum tipo de mapa que trace a rota que deseja que sua empresa siga.

–É preciso experimentar diferentes caminhos até encontrar o tesouro. Se fracassar, tente de novo. Se fracassar de novo, é preciso tentar novamente.

–É preciso ser intrépido e aventureiro, disposto a ir aonde seus concorrentes têm medo de se aventurar, e correr o risco de fracassar ao fazê-lo.

–Acima de tudo, é preciso contar com toda a ajuda e apoio que conseguir. Ninguém monta um negócio (ou vence uma caçada ao tesouro) sozinho.

De volta à história: eu devo ter apresentado minha ideia de caça ao tesouro dezenas de vezes ao longo dos anos, sem sucesso. Então lançamos o Virgin Red, um programa de fidelidade que unia todas nossas empresas no Reino Unido. Sempre considerei a Virgin e nossos clientes como uma família feliz, e o Virgin Red me proporcionou a oportunidade perfeita para ressuscitar minha velha ideia.

Foi assim que nasceu "V Marca o Local". Neste ano, eu desafiei os usuários de nosso aplicativo Virgin Red a caçarem "moedas de ouro" (havia mais de um milhão delas), que os participantes poderiam trocar por prêmios e mais pistas. Mais de 100 mil pessoas participaram. Os finalistas se juntaram a mim nas Ilhas Virgens Britânicas em julho, para uma última caçada ao tesouro épica.

Eu me encontrei com os intrépidos aventureiros na Necker antes de iniciarem a busca final. Os candidatos percorreram a ilha em pares, participaram de aventuras divertidas e completaram tarefas difíceis, de procurar por coisas na praia até provas de paladar e torneios de tênis. A prova final era, é claro, uma corrida para descobrir onde o baú do tesouro estava enterrado.

A candidata Clare chegou lá primeiro e desenterrou um tesouro de presentes Virgin no valor de milhares de libras, de passagens aéreas e ferroviárias gratuitas até bebidas gratuitas e voos de balão.

Foi divertido ver minha ideia finalmente ganhar vida após aguardar por décadas. Ela arrebatou a imaginação de milhares de pessoas e esperamos que sirva como trampolim para o Virgin Red expandir, ao encontrar formas inovadoras de recompensar nossos melhores clientes. Ainda melhor, todo mundo se divertiu bastante ao longo do caminho.

Assim, se você tiver uma ideia que está ruminando há semanas, meses, anos, até mesmo décadas, por que não botá-la em ação? Discuta sua ideia com pessoas em quem confia, veja se seria viável. Nunca se sabe: sua ideia pode lançá-lo em sua própria incrível caçada ao tesouro empresarial.

Feliz caçada!

Um mapa para o sucesso

Tenha em mente essas dicas quando estiver planejando um caminho potencial para seu novo negócio:

  • Esteja disposto a ir aonde seus concorrentes têm medo de ir.
  • Certifique-se de estar fazendo bom uso de toda a informação e ferramentas disponíveis para você.
  • Lembre-se que o fracasso não precisa ser o fim de sua jornada. Aprenda com ele e tente de novo.
  • Peça ajuda. Apresente suas ideias para pessoas em quem confia, não importa quão improváveis elas possam soar. E procure um mentor. Ninguém precisa fazer tudo sozinho.
     
Tradutor: George El Khouri Andolfato

Richard Branson

O megaempresário inglês é criador do grupo Virgin, que tem 200 companhias em mais de 30 países, incluindo a empresa aérea de baixo custo de mesmo nome.

UOL Cursos Online

Todos os cursos