PUBLICIDADE
Topo

Reinaldo Azevedo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Bolsonaro riu ao saber da relatoria de Kássio Conká? É a véspera do choro

Warner Bros/Divulgação
Imagem: Warner Bros/Divulgação
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário - e frequentemente é necessário -, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

13/04/2021 07h29

O presidente Jair Bolsonaro gargalhou ao saber que Nunes Marques é o relator do mandado de segurança impetrado pelo senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) exigindo que o presidente do Senado coloque em tramitação o absurdo pedido de impeachment de Alexandre de Moraes, ministro do Supremo.

Já vimos Bolsonaro rir de coisas as mais disparatadas. Também no riso parece haver uma derivação para o campo da medicina. Mas isso é lá com ele. Ache graça do que quiser. Também seu humor é idiopático. Comentou:
"Caiu para o Kássio Nunes? Eu não interfiro em lugar nenhum. Foi clara a decisão de um ministro do STF para abrir impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro, e não contra quem possivelmente desviou recurso".

Por que Bolsonaro tem tanta certeza de que a investigação do que seu governo fez na Saúde pode levá-lo ao impeachment?

Ele deveria olhar para a montanha de mortos. O impeachment é a mais remota das possibilidades do acerto de contas que o futuro vai fazer com ele e com aqueles que se subordinaram às suas perigosas idiossincrasias.

Podem antecipar a escritura porque o futuro já está sendo escrito.

Infelizmente, em meio a cadáveres.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL