PUBLICIDADE
Topo

Reinaldo Azevedo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Pacheco fará mal ao país e a si se colecionar pedidos. Joga fora no lixo!

Rodrigo Pacheco, presidente do Senado: jogue logo no lixo os pedidos dos insanos e freie a demanda por loucura - Reprodução/Youtube Roda Viva
Rodrigo Pacheco, presidente do Senado: jogue logo no lixo os pedidos dos insanos e freie a demanda por loucura Imagem: Reprodução/Youtube Roda Viva
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário - e frequentemente é necessário -, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

13/04/2021 07h29

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), não tem, como o Supremo vai deixar claro, de submeter a rejeição a pedido de impeachment de ministros do Supremo ou do procurador-geral da República a ninguém. A primeira decisão é sua. Caso ele ache que há motivos para a coisa seguir adiante, aí, sim, precisa do concurso da Mesa.

Não tendo de submeter a rejeição a ninguém e sendo obrigado apenas a passar o eventual aceite pelo crivo da Mesa, também não há prazo para decidir. Se quiser, fica com todos os pedidos na sua gaveta até o fim de seu mandato como presidente da Casa.

Mas aí vem a pergunta: isso é bom? Não! Isso é péssimo. Para ele e para o país.

Enquanto os pedidos estão lá, passa a impressão de que pode vir a usá-los se der na veneta. Ao mesmo tempo, vira alvo do assédio dos psicopatas que sonham em entregar a Corte a Bolsonaro.

Vejam essa patética figura chamada Jorge Kajuru (Cidadania-GO). Ele já apresentou duas denúncias contra Alexandre de Moraes. Pacheco está lá com 10. Todos os pedidos têm origem em bolsonaristas inconformados com o estado de direito.

Se usa o poder monocrático que tem para arquivar sandices, o Senado deixa de ser a Porta da Esperança dos fascistoides.

E, por óbvio, se achar que alguma coisa procede, que, então, chame o concurso da Mesa e dê sequência à coisa. Mas ele sabe que aquilo que tem lá apresenta um padrão de argumentação que vai de Kajuru para baixo. E não é tarefa fácil.

Que mande logo tudo para o lixo. Se fica colecionando petições insanas, estimula a delinquência.

Tão logo o Supremo deixe claro que ele detém o poder monocrático de rejeitar as denúncias, a demanda vai aumentar em vez de cair. E também a pressão dos fascistoides sobre ele.

Se põe um ponto final na bagunça e define um "por aqui, não passa", a bandidagem vai se ocupar de outra coisa.

Coragem, Pacheco! Faça como na música de Michael Sullivan e Paulo Massadas: "Vou jogar fora no lixo!"

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL