Topo

Em 20 anos, zonas urbanas do país crescem o equivalente a duas Xangai

Gabriel Souza Elias<br>Do UOL Notícias<BR>Em São Paulo

2011-04-29T10:00:00

29/04/2011 10h00

Números do Censo 2010 divulgados nesta sexta-feira (29) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que o crescimento brasileiro nas áreas urbanas em 20 anos é superior ao dobro de habitantes da cidade chinesa de Xangai, considerada a mais populosa do mundo. Segundo levantamento apresentado nesta sexta-feira (29), o Brasil tem 50 milhões de habitantes a mais em suas áreas urbanas em relação aos números divulgados em 1991.

Há 20 anos, eram 110.875.826 as pessoas morando em áreas urbanas do país (ou 75,5% da área total), contra os atuais 160.925.792 habitantes (84,4% da área total). Estimativa oficial da prefeitura de Xangai diz que, no último ano, a cidade chinesa bateu a marca de 22 milhões de habitantes –entre moradores do distrito e subúrbios. Este número representa praticamente o mesmo crescimento apresentado pelo Brasil na última década (23.170.242 em áreas urbanas).

ÁREAS URBANAS

  • 84,4%

    dos brasileiros vivem em regiões urbanas; nas áreas rurais, índice
    é de 15,6%

    Em números absolutos, a população brasileira atual supera o dobro do tamanho registrado em 1970, quando o país tinha 93.139.037 habitantes. Apesar disso, o crescimento do país regride a cada década desde os anos 60, quando a média geométrica anual da população foi de 2,89% –hoje, este índice está em 1,17%, o menor registrado na história do Censo.

    “A maior taxa de crescimento registrada no país aconteceu nos anos 50, com índice próximo de 3% ao ano. Com a permanência desta taxa, o Brasil iria duplicar sua população em 24 ou 25 anos”, afirma Fernando Albuquerque, pesquisador do IBGE e gerente do projeto Componentes da Dinâmica Demográfica. “Hoje, com a taxa de crescimento em 1,17%, a população só seria duplicada em 60 anos. O ritmo de crescimento está sendo freado.”

    TAXA DE CRESCIMENTO

    • 1,17%

      é a média geométrica anual
      do país, a menor da história

      Na análise dos dados referentes aos últimos dez anos, são 23 milhões de habitantes a mais em áreas urbanas no país. O número é superior à soma das populações atuais de Seul (Coreia do Sul) e Pequim (China), estimadas em 10.500.000 habitantes cada. “A população urbana cresce em funções vegetativa [nascimentos e óbitos] e migratória. Mas hoje, o crescimento já não acontece de maneira tão intensa como há 40 anos”, diz Albuquerque.

      POPULAÇÃO URBANA

      • 23 milhões

        é o número de habitantes a mais
        no país em áreas urbanas

        Dados do Censo 2010 mostram que a diferença de habitantes no Brasil nos últimos dez anos fica pouco acima dos 21 milhões, número inferior ao crescimento observado nas áreas urbanas. “Hoje os níveis de fecundidade são bem menores nas áreas urbanas e o componente migratório ganha maior importância”, completa o pesquisador, que não acredita em alterações significativas nas próximas análises.

         

        Mais Cotidiano