Topo

Sequestro de ônibus no centro do Rio é finalizado; cinco pessoas foram feridas

Hanrrikson de Andrade<br>Especial para o UOL Notícias

No Rio de Janeiro

09/08/2011 21h02Atualizada em 10/08/2011 01h52

Um ônibus foi sequestrado e cerca de 20 passageiros foram feitos reféns durante cerca de uma hora na noite desta terça-feira (9), na avenida Presidente Vargas, no centro do Rio de Janeiro. O veículo da linha 427C, que pertence à empresa Viação Jurema, fazia o trajeto Praça 15-Duque de Caxias quando foi invadido por um grupo armado. A ação terminou por volta das 21h30 e três criminosos foram presos, segundo o comandante-geral da PM, Mário Sérgio Duarte --o último, no início da madrugada, quando tentava atendimento médico no hspital São Lucas, em Copacabana. Um quarto homem foi identificado, mas ainda não foi preso.

Ao menos cinco pessoas ficaram feridas. Quatro foram levadas ao hospital Souza Aguiar: Liza Mônica Pereira, 46, teve o pulmão perfurado, passou por cirurgia, mas está em estado grave no CTI (Centro de Tratamento Intensivo); Fabiana Gomes da Silva, 30, foi baleada na coxa e passa bem; Josuel dos Santos Messia, 42, atingido de raspão na perna, já recebeu alta; e Alcir Pereira, 56, baleado no pescoço e passa bem. Todos eram passageiros do coletivo, exceto Alcir, que estava passando pelo local no banco do passageiro de um carro.

Sequestro de ônibus com 20 reféns termina no Rio

A quinta vítima é um policial militar que possivelmente tentou invadir o ônibus para reprimir a ação dos assaltantes. Ele teria sido levado para o hospital da corporação, no Estácio, de acordo com Duarte. Seu nome e estado de saúde não foram informados pela polícia.

Os homens detidos foram levados para a 6ª Delegacia de Polícia (Cidade Nova), assim como os passageiros que não necessitaram de atendimento médico. A polícia pretende colher todos os depoimentos antes de confirmar mais detalhes do caso, o que só deve ocorrer nesta quarta-feira (10). Segundo Duarte, três armas foram apreendidas.

LOCAL ONDE O ÔNIBUS FOI INTERCEPTADO

O ônibus tem vidros escuros, o que dificultou a visualização do total de pessoas em seu interior. Durante as negociações, dois criminosos foram retirados do veículo e cerca de dez passageiros foram liberados.

Um terceiro bandido conseguiu fugir do local a pé após utilizar um refém como escudo humano. Segundo um policial que estava no local, ele fugiu para a favela de Manguinhos.

A ação criminosa teve início quando os homens anunciaram o assalto nas proximidades da Universidade Estácio de Sá, na avenida Presidente Vargas. Dois policiais do 4º BPM (São Cristóvão) estavam perto do local e perseguiram o veículo até uma área próxima ao Trevo das Forças Armadas.

Os criminosos conseguiram furar dois bloqueios até que o ônibus --conduzido por um dos criminosos-- se chocou com uma viatura policial.

Nesse momento, o policial que supostamente tentou invadir o veículo disparou contra os pneus, impedindo qualquer tentativa de fuga. Os criminosos também atiraram em direção aos PMs.

Técnicos da Polícia Civil ainda estão no local coordenando o trabalho pericial. As negociações foram comandadas pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope).

A via no sentido Praça da Bandeira foi interditada por agentes da prefeitura, o que causou um enorme congestionamento na região central da capital fluminense. O trânsito foi parcialmente liberado, mas ainda há engarrafamento.

*Com informações de Rodrigo Teixeira

Mais Cotidiano