Topo

Testemunha de atropelamento que matou ciclista em SP diz que motorista não corria no momento do acidente

Janaina Garcia

Do UOL, em São Paulo

02/03/2012 14h17Atualizada em 02/03/2012 18h50

A Polícia Civil de São Paulo tomou na tarde desta sexta-feira (2) o depoimento do motorista e do cobrador do ônibus que fazia a linha Sacomã-Perdizes e atropelou a ciclista Juliana Dias, 33, na avenida Paulista na manhã de hoje. A vítima morreu no local. O acidente ocorreu por volta das 9h50 de hoje. Além dos dois funcionários, policiais do 78º Distrito Policial (Jardins) ouviram também testemunhas que contaram ter visto o momento do acidente.

Uma delas, a depiladora Maria Célia Reis Fagundes, 44, disse que o ônibus trafegava em velocidade normal no momento do acidente. Maria Célia disse ainda que a vítima teria se desequilibrado e caído da bicicleta depois de discutir com o motorista de um outro ônibus, que a teria fechado no trânsito.

Após a queda, ela foi atropelada pelo segundo coletivo, que passava na faixa da direita. A Polícia Militar afirmou que a vítima foi atingida na cabeça e na perna. Um amigo da ciclista esteve na delegacia e disse que a mulher é bióloga, nasceu em São José dos Campos (SP) e fazia diariamente o percurso entre o trabalho, na avenida Paulista, e a residência atual, na Vila Mariana (zona sul).  

O ônibus envolvido no acidente está parado em frente ao DP, e dentro do veículo está a bicicleta. O acidente ocorreu próximo ao local onde outra ciclista, Márcia Regina de Andrade Prado, 40, morreu atropelada, em 14 de janeiro de 2009.

No início da tarde, um grupo de ciclistas realizou um ato de protesto na avenida Paulista contra a morte da ciclista. Por volta do meio-dia, o grupo ficou por cinco minutos deitado na via até a Polícia Militar chegar. Alguns ciclistas resistiram à solicitação da PM para sair e tiveram que ser carregados para fora da avenida.

O sentido Consolação da avenida Paulista foi liberado por volta das 12h50. Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), logo após a liberação, um outro pedestre foi atropelado no mesmo trecho, na altura do número 777, por uma motocicleta. Ainda não há informação sobre o estado de saúde da vítima.


(Com Agência Estado)

Mais Cotidiano