Topo

Corpo de ciclista é enterrado no interior de São Paulo

Do UOL, em São Paulo

03/03/2012 12h24

O corpo da ciclista Juliana Dias, 33, foi enterrado na manhã deste sábado (3), no cemitério Parque das Flores, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba (SP). A bióloga morreu ontem (2) após ser atropelada por um ônibus perto do cruzamento da avenida Paulista com a rua Pamplona, na capital paulista.

Testemunhas afirmaram que a ciclista se desequilibrou e caiu da bicicleta ao receber uma fechada de outro ônibus. O estudante Mateo Augusto, 17, que disse ter visto o acidente da calçada, relatou o momento em que a bióloga e pesquisadora gritou para o motorista que a fechou: "Eu tô aqui".

Segundo Mateo, Juliana teria dito ainda “Cuidado comigo” para outro carro que quase a atingiu momentos antes. Ela seguia pela segunda faixa, uma vez que a faixa da direita é exclusiva para ônibus de transporte coletivo e táxis.

Outra testemunha, a depiladora Maria Célia Reis Fagundes, 44, disse que o ônibus que atropelou Juliana trafegava em velocidade normal no momento do acidente. Maria Célia confirmou que a vítima teria se desequilibrado e caído da bicicleta depois de discutir com o motorista de outro ônibus. Após a queda, ela foi atropelada pelo segundo coletivo, que passava na faixa da direita.

Conforme Maria Célia, o primeiro ônibus vinha pela terceira faixa (da direita para a esquerda), destinada aos demais veículos, e teria ido para o lado de Juliana pouco depois de ela gritar para o carro, que seguiu e foi embora. Ao desviar desse suposto avanço, ela teria se desequilibrado e caído –e em seguida, atropelada pela linha Sacomã-Pompeia, que vinha pelo corredor.

O motorista de um dos ônibus envolvidos no acidente, Reginaldo Santos, 36, foi preso em flagrante por homicídio culposo (sem intenção de matar), mas liberado logo após pagar a fiança no valor de R$ 1.500.

Mais Cotidiano