PUBLICIDADE
Topo

Em uma semana, ações de combate ao crack recolhem 290 usuários na zona norte do Rio

Funcionário da Assistência Social carrega uma suposta dependente de crack durante operação de combate à droga - Fabio Teixeira/AE
Funcionário da Assistência Social carrega uma suposta dependente de crack durante operação de combate à droga Imagem: Fabio Teixeira/AE

Do UOL, no Rio de Janeiro

14/11/2012 12h26

A Secretaria Municipal de Assistência Social do Rio de Janeiro informou nesta quarta-feira (14) que, em uma semana de ações sociais na cracolândia da comunidade Parque União, na zona norte da cidade, 290 usuários da droga foram recolhidos, sendo 24 adolescentes.

Na manhã desta quarta, 26 pessoas foram acolhidas, sendo um adolescente, na área que abrange o acesso à Ilha do Governador e pistas da avenida Brasil. Todos os acolhidos são encaminhados para abrigos do município.

Internação involuntária

O Ministério da Saúde vai ajudar a Prefeitura do Rio na preparação de um novo protocolo para tratamento dos usuários de crack. O plano está previsto para ser apresentado nos próximos dias.

O plano do governo municipal prevê a implantação da internação involuntária de dependentes químicos adultos, medida que vem gerando polêmica, além da abertura de leitos, unidades de atendimento e consultórios de ruas.

A internação involuntária já é feita no Rio, em casos de crianças e adolescentes usuários de drogas. A ideia seria a de estender a medida para adultos dependentes químicos.

Arma de choque

Reportagem desta quarta da "Folha de S.Paulo" informa que as polícias do Brasil terão armas de choque e spray de pimenta para conter dependentes de crack. A distribuição desses dispositivos é uma das ações previstas no programa "Crack, é possível vencer", do Ministério da Justiça.

Até agora, 12 Estados estão no programa federal, totalizando R$ 62 milhões em recursos. O Rio recebeu mais recursos: R$ 9 milhões. O próximo a aderir deve ser São Paulo. Além de armas, o programa prevê treinamento de policiais e a compra de câmeras para monitorar cracolândias.

No Rio, serão treinados 200 policiais. Os equipamentos, 250 armas de choque e 750 sprays de pimenta, já chegaram, segundo a Secretaria de Segurança do Estado.

Cotidiano