PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Após temporal, 460 apartamentos de conjuntos habitacionais são invadidos em Cubatão (SP)

Rafael Motta

Do UOL, em Santos (SP)

23/02/2013 21h07

Quatrocentos e sessenta apartamentos de conjuntos habitacionais em construção foram invadidos, entre ontem (22) e hoje (23), após o início das fortes chuvas que deixaram bairros ilhados e pessoas desabrigadas em Cubatão (56 km de São Paulo). A prefeitura desconfia de uma ação orquestrada e estuda como retirar os ocupantes dos imóveis.

Os prédios ficam nos bolsões 7 e 9, núcleos situados às margens das rodovias Anchieta e dos Imigrantes, e fazem parte de empreendimentos erguidos pelo município (os Imigrantes 1 e 2, concebidos para moradores do bairro Vila Esperança) e pelo Estado (o Serra do Mar, para residentes nas encostas dos morros).

Na noite deste sábado, a prefeita de Cubatão, Marcia Rosa (PT), pediu ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), por telefone, que ajude na desocupação irregular dos apartamentos. As unidades estão ora pendentes de habite-se –documento para atestar que um imóvel pode ser ocupado–, ora de acabamento.

“Se há programas habitacionais, não são para invasores, mas para os que perderam tudo”, disse o secretário municipal de Comunicação Social, Fernando Alberto Júnior. Na conversa entre a prefeita e o governador, também ficou acertado que técnicos das defesas civis da prefeitura e do Estado percorrerão as regiões mais afetadas de Cubatão neste domingo (24).

Segundo Alberto, o trabalho servirá “para analisar as situações mais dramáticas e dar solução definitiva aos projetos habitacionais. Algumas [famílias sob maior risco] podem pular à frente [na lista de transferências aos apartamentos]”.

No início da tarde, Marcia Rosa decretou estado de emergência na cidade e já solicitou ao governador “aporte financeiro” para emergências, de valor não divulgado. Também será requisitada ajuda ao governo federal. Agora à noite, técnicos da prefeitura verificam quais desabrigados precisarão de auxílio-moradia para o custeio temporário de aluguéis, já fixado em R$ 400 por família, e por quanto tempo.

Às 20h30 de hoje (23), 315 pessoas estavam abrigadas em unidades da prefeitura situadas no centro da cidade –246 no Centro Esportivo Castelo Branco, o Castelão, e 69 eram divididas nas escolas municipais Amazonas e Júlio Conceição.

Doações

Fernando Alberto Júnior salientou a grande quantidade de donativos enviados aos desabrigados e pede à população que suspenda o envio de roupas. “Precisamos de alimentos não perecíveis, fraldas, leite e água”.

A relação completa de locais para onde doações devem ser entregues está neste link: http://www.cubatao.sp.gov.br/noticias/6825-cubatao-continua-recebendo-donativos-para-atender-os-desabrigados-da-enchente/

Cotidiano