PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

PM contradiz Haddad, culpa prefeitura e nega relação entre furtos de fios e apagões

Do UOL, em São Paulo

05/06/2013 19h40

A Polícia Militar de São Paulo, em nota divulgada na noite desta quarta-feira (5), contradisse o prefeito Fernando Haddad (PT) e negou que falhas na iluminação pública estejam associadas a furtos de fios elétricos.

Ontem (4), Haddad disse que os apagões em várias regiões da cidade foram provocados pelo furto de fios por “quadrilhas especializadas”. Segundo ele, foram furtados 788 km de fios e cabos nos quatro primeiros meses do ano. O prefeito também cobrou a polícia para que coíba a prática.

Hoje, a PM informou que não houve registros de furtos de fios nos 643 pontos da capital em que há falha ou ausência de iluminação pública --segundo levantamento feito pela própria corporação a pedido da prefeitura. Na mesma nota, a PM diz que as falhas na iluminação nos pontos referidos “têm como causa, basicamente, a ausência de investimentos públicos pela Prefeitura, e não os furtos de cabos.”

A Polícia Militar afirma também que prefeitura e governo do Estado assinaram, em janeiro, um protocolo de intenções para a cooperação na área de segurança pública no qual “o prefeito se comprometeu a priorizar investimentos em iluminação pública em locais indicados pela PM.”

Ainda de acordo com a PM, a ausência de furtos de fios nos 643 pontos identificados foi corroborada pelo Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais).

Deic prende seis por furto de fios

Na nota divulgada hoje, a PM afirma ainda que, segundo a Polícia Civil, não houve registros de furtos de cabos na capital. Entretanto, nesta quarta-feira (5), policiais do Deic prenderam na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, seis homens por furto de fios elétricos.

Dos detidos, quatro trabalhavam em uma empresa responsável pela manutenção e reparos na rede elétrica. Os outros dois trabalhavam em um ferro velho, segundo informou a assessoria de imprensa do Deic

As investigações foram feitas por policiais da 1ª Divecar (Delegacia de Investigações sobre Furtos e Roubos de Veículos) do Deic, que apurava a fraude há cerca de 30 dias. Os policiais acompanharam algumas entregas no ferro velho, que fica na avenida Santa Marina, na Freguesia do Ó.

Segundo o delegado Ricardo Parra, titular da 1ª Divecar, os furtos eram realizados em ruas cujos moradores solicitavam reparos na rede elétrica. Independente da falha na rede, os suspeitos alegavam que os fios haviam sido roubados e solicitavam e que era preciso repô-los. Em seguida, os fios substituídos eram vendidos no ferro velho.

"Independente do motivo do problema, alegavam furto da fiação e solicitavam novos cabos. O material instalado era retirado mesmo estando em bom estado. Depois vendido como sucata", disse o delegado.

Segundo o Deic, foram presos o comerciante Genivaldo dos Reis Lima, 43, o ajudante Adelson Teixeira, 54 (ambos do ferro velho), e toda a equipe de manutenção composta pelo encarregado José Luiz de Costa, 60, o oficial eletricista Ricardo Pereira da Silva, 36, e os ajudantes Carlos Fernando Porto da Silva, 23, e Rafael dos Santos, 25.

Em nota, o Consórcio SP Luz, responsável pela iluminação pública nas ruas da capital, disse que abriu sindicância para apurar o furto de fios promovido por funcionários da empresa. 

Cotidiano