Topo

PM mobiliza 500 homens do Batalhão de Choque para protesto no centro do Rio

Policiamento é reforçado para manifestação que deve acontecer na tarde desta quinta - Hanrrikson Andrade/UOL
Policiamento é reforçado para manifestação que deve acontecer na tarde desta quinta Imagem: Hanrrikson Andrade/UOL

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, no Rio

27/06/2013 16h48Atualizada em 27/06/2013 17h44

Cerca de 500 homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar fora deslocados para as ruas do centro do Rio de Janeiro desde as 14h desta quinta-feira (27), devido a uma manifestação programada para acontecer na Candelária. Por volta das 17h, centenas de manifestantes de uma passeata que saiu do IFCS (Instituto de Filosofia e Ciências Sociais) da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) se juntaram aos que se reuniam na praça da Candelária para o sétimo ato do movimento contra a tarifa do transporte coletivo na capital fluminense e a militarização da polícia, outras causas.

A passeata seguirá em direção ao prédio da Fetranspor (Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio), na rua da Assembleia, no centro, onde há um forte esquema de policiamento. Por volta das 17h, a avenida Presidente Vargas e a avenida Rio Branco foram fechadas pelos manifestantes.

Diferentemente das últimas passeatas no Rio, não há repressão dos manifestantes em relação aos militantes de partidos políticos, sindicatos e outros movimentos ligados ao governo ou à oposição. Há bandeiras do PSOL, Sintuff (Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal Fluminense), MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), LBI (Liga Bolchevique Internacionalista), entre outros.

Um pelotão de policiais com escudos e cassetetes se posicionou na calçada da Igreja da Candelária, mas o clima é tranquilo até o momento. Os PMs distribuem panfletos pedindo paz aos manifestantes. Os batalhões do Centro e de São Cristóvão vão dar apoio ao patrulhamento, com ajuda de blindados, helicópteros e motos. Já o Bope (Batalhão de Operações Especiais) vai ficar de prontidão no quartel.

Mapa dos protestos

  • Clique no mapa e veja onde aconteceram os principais protestos no Brasi até agora

Na avenida Rio Branco, por onde a passeata seguirá até a chegada ao prédio da Fetranspor, todas as agências bancárias utilizam tapumes para evitar depredações. Lojas e estabelecimentos comerciais encerraram o expediente mais cedo.

Para as manifestações de domingo, 2.500 policiais e a Força Nacional vão fazer a segurança no Maracanã, e o policiamento dos protestos divulgados em redes sociais: um a partir das 9h e outro às 15h, ambos partindo da Praça Saens Pena, na Tijuca, zona norte do Rio.

Outros protestos

Na sexta feira (28), 10 mil pessoas são esperadas numa passeata às 17h, em São Gonçalo, na região metropolitana, para reivindicar passagens municipais a R$ 1,50 e a redução da tarifa dos ônibus intermunicipais.

Na última quarta-feira (26), um grupo de 15 manifestantes se reuniu em frente a Secretaria de Segurança Publica para cobrar explicações sobre a atuação da polícia durante operação no Complexo da Maré na última terça feira (25), que deixou dez mortos. (Com BandNews)

Manifestantes saem às ruas em protestos pelo Brasil
Manifestantes saem às ruas em protestos pelo Brasil
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','29229+AND+52727+AND+72337', '')

Mais Cotidiano