Topo

Policial que atirou em jovens caídos no chão é preso em SP

Do UOL, em São Paulo

24/06/2015 13h56Atualizada em 24/06/2015 21h30

A Polícia Militar de São Paulo informou nesta quarta-feira (24) que prendeu administrativamente o policial que apareceu em imagens exibidas ao vivo pela Band e Record atirando em dois suspeitos que estavam caídos no chão.

O caso correu ontem, quando uma perseguição policial no Jardim São Luís, na zona sul de São Paulo, terminou com dois suspeitos baleados por um policial militar.

A perseguição começou por volta das 18h na rua Pais da Silva. Dois homens em uma moto, suspeitos de roubo, de acordo com a PM, fogem dos policiais da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam).

Eles atravessam a ponte João Dias e, na avenida Maria Coelho Aguiar, os suspeitos jogam um capacete na direção da moto em que está um PM e, em seguida, caem no chão, na frente de uma garagem.

Neste momento, como é possível ver nas imagens, o policial para a sua moto ao lado e atira ao menos quatro vezes nos dois homens.

"As imagens produzidas por equipes de televisão estão ajudando o trabalho investigativo das polícias e auxiliarão no esclarecimento do que efetivamente ocorreu. A Polícia Militar e a Polícia Civil instauraram inquéritos para a adequada apuração do episódio. O policial militar envolvido na ocorrência foi preso administrativamente e afastado das atividades operacionais", disse a PM em nota.

Menores estão internados

A corporação informou que os dois adolescentes foram levados na terça-feira (23) para hospitais da região, ainda com vida. Até a tarde desta quarta-feira, o de 17 anos estava em estado estável no Hospital Campo Limpo, segundo informação da assessoria da secretaria de saúde da Prefeitura de São Paulo divulgada hoje.

A última informação sobre o estado de saúde do outro jovem, de 16 anos, é de segunda-feira e dizia que ele seguia em estado grave no pronto-socorro Regional Sul. A reportagem do UOL procurou o hospital, que não deu informações atualizadas sobre o adolescente. A Polícia Militar, a Secretaria de Segurança Pública e a 47ª Delegacia Policial (Capão Redondo), que cuida do caso, também não souberam dar mais detalhes sobre a saúde das duas vítimas.

Ambos estão sob escolta policial nos dois hospitais e serão levados novamente à 47ª DP quando tiverem alta, para então serem encaminhados à Fundação Casa para medidas socioeducativas.

Cotidiano