Topo

Socorristas, mãe e filha trabalham pela 1ª vez juntas em Mariana (MG)

Mayara Estanislau, 26 (esq.), e sua mãe, Yara Estanislau, 47, trabalham como voluntárias no socorro às vítimas do acidente em Mariana (MG) - Carlos Eduardo Cherem/UOL
Mayara Estanislau, 26 (esq.), e sua mãe, Yara Estanislau, 47, trabalham como voluntárias no socorro às vítimas do acidente em Mariana (MG) Imagem: Carlos Eduardo Cherem/UOL

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Mariana (MG)

09/11/2015 18h27

Mãe e filha, socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) de Belo Horizonte, estão trabalhando como voluntárias no socorro a vítimas do desastre no subdistrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG).

Neste fim de semana, após tomarem conhecimento na sexta-feira (6) da tragédia do rompimento das barragens Fundão (de rejeitos de pelotas de minério de ferro) e de Santarém (de água), as socorristas Yara Estanislau, 47, e sua filha, Mayara Estanislau, 28, pegaram a estrada e percorreram os 115 quilômetros que separam Belo Horizonte de Mariana.

"Primeiro, não queria que ela (a filha) trabalhasse na minha profissão. Como não teve jeito, sempre evitei que ela atuasse na minha equipe", disse a mãe. "Mas agora, que vamos juntas estou adorando. Principalmente, com o sentido desse trabalho. Somos voluntárias", afirmou.

"Domingo, circulamos até o anoitecer. É muito bom poder fazer esse trabalho voluntário junto com a minha mãe. Ajudando tanta gente", afirmou a filha.

Elas embarcaram num jipe, conduzido também por um voluntário, para socorrer vítimas da tragédia do rompimento das duas barragens da Samarco.

Mais Cotidiano