"Ciclo doloroso que se encerra", diz filho que identificou corpo do pai em Mariana

Rayder Bragon

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

  • Divulgação/Corpo de Bombeiros

    Cabine do caminhão-pipa onde foi encontrado o corpo do motorista

    Cabine do caminhão-pipa onde foi encontrado o corpo do motorista

O auxiliar técnico de manutenção Emerson Aparecido dos Santos, 30, afirmou que a família do motorista Ailton Martins dos Santos, 55, encerrou um "ciclo doloroso" com a sua identificação. O corpo dele foi localizado na quarta-feira (9), em área da barragem de Fundão, que se rompeu em novembro do ano passado, em Mariana (MG).

Quatro meses após a tragédia que resultou em 18 mortos e um desaparecido, além de ter sido considerado o maior desastre ambiental do país, o rapaz, que será pai pela primeira vez, disse se sentir aliviado.

"É um ciclo doloroso que se encerra com a descoberta do corpo do meu pai. A nossa família agora está um pouco mais aliviada por pelo menos conseguir dar a ele um enterro digno. Ele merecia isso por ter sido um homem muito bom', declarou.

Segundo Santos, o corpo do pai deverá chegar, na tarde desta quinta-feira (10), ao distrito de Morro da Água Quente, pertencente à cidade de Catas Altas (120 km de Belo Horizonte), onde ocorrerá o velório e o enterro.

O filho foi quem reconheceu o corpo do motorista, ainda ontem, dispensando a necessidade de exame de DNA. Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais, o prefixo do caminhão também serviu como prova da identificação do motorista, já que era o mesmo do utilizado por ele no dia do rompimento da estrutura.  

"Eu o reconheci por uma cicatriz que ele tinha nas costas, do cabelo grisalho, além da roupa e de documentos que foram encontrados próximo do local", afirmou Emerson dos Santos, apesar do estado em que o corpo se encontrava.

Cabine de caminhão-pipa

De acordo com o Corpo de Bombeiros, Aílton dos Santos foi localizado dentro da cabine de um caminhão-pipa, que foi avistado após escavação feita pelos bombeiros. A vítima era motorista de uma empresa terceirizada da mineradora Samarco, responsável pela barragem de Fundão.

Nesse período sem notícia do paradeiro do pai, o auxiliar técnico afirmou ter se apegado a Deus para conseguir seguir com a vida e ainda reconfortar a mãe e os familiares. Emerson dos Santos disse ser funcionário da Vale. A empresa e a anglo-australiana BHP são as controladoras da Samarco.

"Foi difícil, mas a gente pediu a Deus que nos concedesse força, que iluminasse o nosso caminho para encontrar o nosso pai", afirmou. O rapaz afirmou ainda que o pai era o membro da família mais extrovertido, sempre apresentando um sorriso no rosto.

"Ele era muito alegre, o cara mais alegre da família. Muito brincalhão, não tinha momento de tristeza para ele, só vivia com um sorriso no rosto. Ele que alegrava a família", lembrou.

Emerson contou que a mulher está grávida de três meses do primeiro filho do casal. Ele externou sua frustração por o pai não acompanhar esse momento de sua vida. "É uma pena que ele não vai poder conhecer o neto. Mas vamos tentar recomeçar a vida sem ele. Vamos tentar tocar a vida", lamentou.

Edmirson José Pessoa, 48, funcionário da mineradora Samarco segue desaparecido. Conforme nota da Polícia Civil, "devido ao tempo decorrido do desastre, ele também é considerado uma vítima fatal".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos