Bandidos fazem "cordão humano" e reféns em assalto a bancos na véspera do Natal

Mirthyani Bezerra

Do UOL, em São Paulo

  • Germano Rorato/Agência RBS

    Os criminosos explodiram simultaneamente os caixas eletrônicos das agências do Banco do Brasil e Sicredi, em São Sepé

    Os criminosos explodiram simultaneamente os caixas eletrônicos das agências do Banco do Brasil e Sicredi, em São Sepé

Várias pessoas transitavam na movimentada rua Coronel Veríssimo, que fica no centro de São Sepé, na região central do Rio Grande do Sul, na madrugada deste sábado (24), véspera de Natal, quando um grupo com cerca de 15 homens encapuzados e fortemente armados estacionou seus carros nas proximidades de duas agências bancárias, por volta da 0h45.

"Era sexta-feira, estava um clima agradável para aproveitar a noite então tinha muita gente andando no centro. Todo mundo que passava era abordado pelos bandidos para fazer parte do cordão humano", contou o sargento da Polícia Militar Jean dos Santos.

Usando explosivos, os criminosos explodiram simultaneamente caixas eletrônicos das agências do Banco do Brasil e Sicredi, que fica uma de frente para a outra, perto da praça das Mercês. A ação durou cerca de uma hora, de acordo com a polícia. 

Com o cordão humano, a Brigada Militar só chegou ao local depois do crime. A polícia não soube informar quanto dinheiro foi roubado na ação. 

Um policial militar que não estava de serviço passou pelo local na hora em que os cerca de 15 homens roubavam os bancos e reagiu ao crime. "Ele sacou a arma e começou a atirar. Acabou sendo atingido na perna e foi levado para o Hospital de Caridade de Santa Maria, em Santa Maria", contou Santos.

Na fuga, os criminosos fizeram duas jovens com cerca de 20 anos que formaram o cordão humano de refém. Eles colocaram as duas dentro de um dos carros usados na ação.

Em entrevista ao jornal "Zero Hora", uma delas contou que foi abordada quando passeva de carro pela região. Do início do assalto até ser solta, ela dizer ter passado cerca de uma hora nas mãos da quadrilha.

As jovens foram libertadas em um posto de combustível entre as cidades de São Sapé e Caçapava do Sul, a mais ou menos 20 quilômetros de onde o crime aconteceu. Elas não ficaram feridas.

Agentes da Delegacia de São Sapé, que está responsável pela investigação do caso, já ouviram as duas jovens na manhã deste sábado.

"Nunca vimos um crime como esse nessa região. Não podemos dar mais detalhes para não atrapalhar a investigação", disse uma agente da Polícia   Civil, que não se identificou ao telefone.

Outros casos

Crimes como esse aconteceram nesta semana em outras cidades do Brasil. Em São José do Rio Preto, que fica a 438 km de cidade de São Paulo, um grupo fortemente armado, com fuzis e metralhadoras, invadiu na quinta-feira (22) o estacionamento de um hipermercado para roubar um carro forte que abastecia caixas eletrônicos do local. Os bandidos trocaram tiros com a polícia, três deles morreram, dois foram presos e dois policiais foram baleados.

Cinco homens encapuzados e fortemente armados explodiram também na madrugada deste sábado (24) os dois caixas eletrônicos do Santander e da Caixa Econômica Federal que ficavam dentro do prédio da Prefeitura de Cortês, na zona da mata sul de Pernambuco. A prefeitura fica em frente a um destacamento da Polícia Militar. Os criminosos também fizeram reféns durante a ação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos