Metroviários de SP prometem paralisar serviços na sexta

Do UOL, em São Paulo

  • Peter Leone/Estadão Conteúdo

Pela segunda sexta-feira seguida, a cidade de São Paulo poderá ficar sem serviço de Metrô. O Sindicato dos Metroviários de São Paulo aprovou uma paralisação de 24 horas para esta sexta-feira (5). Uma assembleia no início da noite de quinta-feira (4) irá definir se o serviço de transporte será interrompido ou não.

Os metroviários protestam contra um aumento da jornada de trabalho dos funcionários. "Apesar de declarar que é favorável à intrajornada de meia hora, o Metrô está implantando o intervalo de uma hora de forma autoritária, aumentando a jornada e provocando muitos transtornos aos metroviários", diz o sindicato em nota.

Procurado, o Metrô de São Paulo não se pronunciou até o momento sobre a reclamação dos metroviários.

Segundo o sindicato, a assembleia desta quinta poderá confirmar e organizar os detalhes da paralisação ou, caso haja uma alteração na situação, votar uma nova proposta do governo.

Terceira vez

Caso os metroviários decidam parar, será a terceira vez no ano em que a cidade de São Paulo ficará sem metrô. As duas primeiras tiveram relação com protestos contra as reformas previdenciária e trabalhista, propostas pelo governo do presidente Michel Temer (PMDB).

Tanto em 15 de março quanto em 28 de abril, todas as estações --com exceção das da linha 4-amarela, operada pela iniciativa privada-- amanheceram fechadas. Nas duas datas, ao longo do dia, o Metrô passou a operar por meio de uma força-tarefa as estações da área central da cidade.

Em média, o Metrô transporta cerca de 3,7 milhões de passageiros por dia.
 

Boechat: greve geral não produziu o impacto desejado

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos