ONG denuncia matança cruel de gatos no Maracanã e ganha apoio de famosos

Demétrio Vecchioli

Colaboração para o UOL

  • Reprodução/Facebook

    Fabiana Karla, Malu Mader e Heloísa Périssé participam do movimento

    Fabiana Karla, Malu Mader e Heloísa Périssé participam do movimento

Um grupo grande de artistas está em um torno de uma campanha que ultrapassa bastante os limites da televisão: a proteção dos animais que vivem no Estádio do Maracanã e seus entornos. Na última semana, cinco carcaças de gatos foram encontradas por uma ONG de proteção animal, todas com sinais de tortura e maus-tratos.

"Tem um monstro matando de forma muito cruel os gatos do Maracanã". É o que está escrito no cartaz segurado por diversas celebridades, em foto em suas próprias redes. Heloísa Périssé, Maria Clara Gueiros, Paula Bulamarqui, Mallu Mader, Fabiana Karla, Patrícia Travassos, Evandro Mesquita e Betty Goffman estão entre os que se uniram à campanha.

A denúncia é da ONG Centro de Reabilitação Pata Amiga, coordenada por Christiane Neri e Randel Silva. "Começaram a morrer os gatos de maneira suspeita. Nossas colaboradoras estão sendo proibidas de entrar (no Maracanã) e nem para pegar corpo de gato morto elas têm sido autorizadas. As mortes têm se intensificado. Tudo indica crueldade, seita, alguma coisa do tipo", diz Christiane.

De acordo com ela, a ONG recebeu denúncias de gente de dentro do Maracanã a respeito dessa matança. No estádio, há muitos anos, vivem pelo menos quatro colônias de gatos, que somam mais de 100 indivíduos. "Já aconteceram mortes há alguns anos e as pessoas envolvidas não conseguiram resolver. No ano passado, a polícia tirou 14 carcaças de gatos assassinados de lá de dentro e agora voltaram a matar", continua ela.

Christiane refuta a tese que tem sido colocada até agora pela Concessionária Maracanã, de que as mortes podem estar sendo causadas em área que é administrada pela empresa e cita que, na quinta, Randel retirou pela grade a carcaça de um gato morto por afogamento que estava dentro do Maracanã. Nesta sexta, a ONG terá uma reunião com a concessionária.

Em nota, a Subsecretaria de Bem Estar Animal, ligada ao governo do estado, disse que está investigando a denúncia e informou que "já entrou em contato com o diretor do Maracanã para tomar as medidas cabíveis".

Já a concessionária, afirma que "não registrou nenhuma ocorrência de maus tratos a gatos dentro das dependências do estádio e irá apurar a denúncia relatada, com vistorias em todos os locais sob sua responsabilidade. A Concessionária reafirma seu compromisso de manter e zelar pelo Maracanã, com absoluto respeito às pessoas e aos animais. A Concessionária também esclarece que no entorno do estádio existem instalações que não são áreas de sua atuação."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos