Homem morre ao ingerir veneno guardado em garrafa de vodca em SP, diz polícia

Fabiana Marchezi

Colaboração para o UOL

  • Google Street View/Reprodução

    Polícia de São Vicente investiga se houve negligência no atendimento médico da vítima

    Polícia de São Vicente investiga se houve negligência no atendimento médico da vítima

A polícia de São Vicente, no litoral de São Paulo, investiga o caso de um homem de 45 anos que morreu ao ingerir benzina pensando que era vodca no último sábado (17). De acordo com a polícia, a confusão de Marco Antonio Santos aconteceu porque o líquido estava armazenado em uma garrafa de vodca, dentro da geladeira da casa onde o homem morava com a irmã e o cunhado.

Segundo o boletim de ocorrência, ao qual o UOL teve acesso, o cunhado relatou à polícia que usava o veneno para matar cupins. Ele disse que depois de aplicar a substância nas paredes na sexta-feira (16) teria guardado o restante em uma garrafa de vodca vazia e colocado dentro da geladeira para o líquido não "evaporar".

Leia também

O cunhado contou que estava dormindo, no sábado (17), quando foi acordado pela vítima pedindo ajuda por estar passando muito mal. Santos relatou ter bebido a suposta vodca, que estava na geladeira, ao familiar.

Ao perceber o que havia acontecido, o cunhado deu um copo de leite para a vítima e acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que encaminhou o homem ao Hospital Municipal de São Vicente. Na unidade de saúde, ele fez lavagem estomacal e foi liberado.

Horas depois, ele voltou a vomitar. A irmã dele e o cunhado acionaram novamente a ambulância do Samu, que o levou de novo ao hospital, onde ele teve uma parada cardiorrespiratória e morreu.

Em nota, a Secretaria de Saúde de São Vicente contestou a versão relatada à polícia. Segundo o órgão, Santos deu entrada no Hospital Municipal da cidade por volta das 12 horas de sábado (17), passou por lavagem gástrica e foi medicado. Entretanto, diferentemente do que foi informado no boletim de ocorrência, a secretaria informou que por volta das 16h, "ele, juntamente com familiar (cunhado), evadiu-se da sala de emergência".

O comunicado ressaltou que às 20h20, Santos retornou ao hospital com parada cardiorrespiratória e que não respondeu às tentativas de reanimação. A morte foi constatada às 21h22.

No depoimento, o cunhado afirmou que a vítima era alcoólatra e que estava morando com o casal depois de virar morador de rua. O corpo do homem foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para necropsia.

O resultado das análises que indicarão a causa da morte deve sair em até 30 dias, segundo a polícia. Além das circunstâncias da morte, a polícia vai apurar se houve negligência no atendimento médico.

O caso foi registrado na Delegacia Sede de São Vicente como morte suspeita. Por telefone, o UOL não conseguiu falar com o delegado responsável pela investigação. A Secretaria Municipal da Saúde também foi questionada sobre o caso, mas não deu retorno até o fechamento da reportagem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos