Maior traficante de fuzis dos EUA para o Brasil é preso na Flórida

Leandro Prazeres

Do UOL, em Brasília

A Polícia Civil do Rio de Janeiro confirmou, na manhã deste sábado (24), a prisão de Frederick Barbieri, conhecido como o maior traficante de fuzis oriundos dos Estados Unidos para o Brasil. Barbieri foi preso no Estado da Flórida, nos Estados Unidos, onde vivia pelo menos desde 2010. Com ele, as autoridades norte-americanas apreenderam uma carga de aproximadamente 40 fuzis que seriam enviados ao Brasil.

Barbieri responde a processos por tráfico de armas no Brasil. Ele é apontado como o responsável por uma carga de 60 fuzis apreendida no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, em junho de 2017. A carga, avaliada em R$ 4,8 milhões, foi a maior apreensão de fuzis no Brasil em 10 anos.

A prisão de Barbieri foi feita por agentes do ICE (Serviço de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos). Segundo o delegado Fabrício de Oliveira, titular da Desarme (Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos) do Rio de Janeiro, Barbieri foi preso por conta do seu envolvimento com o tráfico de armas entre o Brasil e os Estados Unidos.

Polícia Civil do Rio de Janeiro
Frederik Barbieri vivia nos EUA desde 2010

De acordo com Fabrício de Oliveira, Barbieri era conhecido no mercado clandestino de armas por abastecer a diversas facções criminosas ao mesmo tempo. "Ele não trabalhava com exclusividade para esta ou aquela facção. Ele enviava armas para diversas facções ao mesmo tempo", disse.

Ele diz que a polícia fluminense repassou informações sobre Barbieri às autoridades norte-americanas depois da apreensão de fuzis em junho do ano passado. Uma equipe da Polícia Civil chegou a ser enviada aos Estados Unidos para auxiliar nas investigações.

"Como o Barbieri era o chefe da quadrilha, a gente acredita que tenhamos desmantelado essa quadrilha. Ele era o maior traficante de fuzis dos Estados Unidos para o Brasil", disse Fabrício de Oliveira.

Barbieri é alvo de mandados de prisão expedidos pela Justiça brasileira. Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, o pedido de extradição de Frederik Barbieri já foi apresentado para o governo norte-americano, mas houve um pedido de documentação complementar. Agora, estão aguardando o Poder Judiciário enviar a documentação complementar devidamente traduzida para o inglês. 

No entanto, o delegado Fabrício de Oliveira acredita que a possibilidade de Barbieri ser extraditado é remota. Isso porque o traficante obteve a cidadania norte-americana e, por isso, ele deverá responder pelos crimes nos Estados Unidos.

O delegado disse que o ICE deverá fornecer informações detalhadas sobre a prisão de Barbieri na próxima segunda-feira (26) e que ainda não é possível saber se ele ofereceu resistência ou não durante a operação que resultou na sua captura.

Reprodução
Carga com 60 fuzis apreendidos no aeroporto do Galeão em 2017

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos