Após morte de PM, Grande Belém tem 18 assassinatos em dois dias

Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL em São Paulo

  • Reprodução/Susipe

    Em 10 de abril, houve troca de tiros entre o grupo que tentou invadir um presídio em Belém, parte dos detentos e a equipe penitenciária

    Em 10 de abril, houve troca de tiros entre o grupo que tentou invadir um presídio em Belém, parte dos detentos e a equipe penitenciária

Pelo menos 18 pessoas foram mortas na Região Metropolitana de Belém entre domingo e esta segunda-feira (30) após a execução da cabo da PM Maria de Fátima dos Santos, 49, ocorrida dentro de sua própria casa no último domingo (29).

De acordo com a Segup (Secretaria de Estado de Segurança Pública), dez pessoas foram encontradas com sinais de execução entre 13h45 de ontem e 00h de hoje. Ainda nesta segunda, por volta das 13h, outras quatro mortes foram registradas. Entre 13h e 18h, outras quatro mortes.

Dentre as dez primeiras vítimas, seis foram nos bairros Águas Lindas, em Ananindeua; e Condor, Marco, Canudos, Terra-Firme e Una, em Belém. As outras quatro vítimas foram socorridas, mas morreram no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, no posto de saúde de Águas Lindas, no Pronto Socorro da 14 de Março e no Pronto Socorro do Guamáe.

Já os quatro primeiros crimes de hoje ocorreram por volta das 13h; três foram executados no bairro do Tapanã e um no Mangueirão, em Belém. Ao UOL, o secretário-adjunto de comunicação confirmou que, até o final do dia, outras quatro pessoas foram executadas. "Todas nas periferias de Belém. A Região Metropolitana tem cerca de 2,4 milhões de pessoas."

PM de Belém
Maria Fátima Cardoso dos Santos, 49 anos
Embora andasse escoltada nos últimos dias, a cabo Maria Fátima foi encontrada morta dentro de sua própria casa na tarde de domingo (29), elevando para 21 o número de PMs assassinados no Pará somente este ano.

Por meio de nota, a secretaria informa que o crime está sendo investigado pela Divisão de Homicídios, vinculada à Polícia Civil, enquanto as investigações das demais foram divididas entre a Divisão de Homicídios e as delegacias dos bairros.

32 mortes

Entre os dias 9 e 10 de abril, ao menos 32 pessoas morreram em condições parecidas. Na segunda-feira (9), 11 pessoas foram assassinadas após a morte de dois policiais militares.

No dia seguinte, 21 pessoas também morreram, incluindo o agente penitenciário Guardiano Santana, 57. De acordo com a Segup, as mortes foram resultado de uma troca de tiros entre policiais e um grupo externo "fortemente armado" que tentou fazer um resgate no CRP III (Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III), no complexo Prisional de Santa Izabel, Região Metropolitana de Belém.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos