PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Rota mata 4 na zona sul de SP em ação contra o tráfico; corregedoria convoca PMs a depor

29.jul.2018 - Equipe da Rota na rua Grenoble, onde quatro suspeitos foram mortos - Divulgação/Polícia Civil
29.jul.2018 - Equipe da Rota na rua Grenoble, onde quatro suspeitos foram mortos Imagem: Divulgação/Polícia Civil

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

30/07/2018 11h02Atualizada em 30/07/2018 11h16

Quatro suspeitos foram mortos a tiros na tarde deste domingo (29) num suposto confronto com policiais da Rota, a tropa de elite da PM (Polícia Militar) paulista, durante uma ação contra o tráfico de drogas na região do Campo Limpo, zona sul de São Paulo. Nenhum policial ficou ferido.

29.jul.2018 - Fuzil, drogas e colete apreendidos em casa onde estaria acontecendo reunião do PCC, no Campo Limpo - Divulgação/Polícia Civil - Divulgação/Polícia Civil
Fuzil, drogas e colete apreendidos
Imagem: Divulgação/Polícia Civil

Segundo a PM, por volta das 14h, os PMs foram ao local verificar uma denúncia de tráfico de drogas. Existia uma suspeita de que ali ocorria uma reunião de integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Ao menos duas equipes da Rota, formadas por oito policiais participaram da ação.

A Polícia Civil, por meio do DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), investiga as mortes. Na manhã desta segunda-feira (30), peritos analisaram o local da ocorrência e apreenderam pistolas, um fuzil e drogas que estariam sob posse dos suspeitos mortos. Os nomes dos suspeitos não foram revelados.

Em depoimento à Polícia Civil, os PMs da Rota afirmaram que, durante a averiguação, foram recebidos a tiros pelos criminosos e, então, revidaram. Três suspeitos foram mortos no local. O quarto foi baleado durante a fuga, ainda de acordo com a versão dos policiais envolvidos.

29.jul.2018 - Drogas apreendidas com suspeitos de integrarem o PCC, no Campo Limpo - Divulgação/Polícia Civil - Divulgação/Polícia Civil
Drogas que estariam com suspeitos
Imagem: Divulgação/Polícia Civil

Um dos suspeitos tentou fugir, a pé, e, segundo a PM, atirou contra os policiais, que revidaram.

A corregedoria da PM informou que todos os PMs envolvidos foram convocados e serão ouvidos nesta segunda-feira. Vão depor um primeiro-tenente, um terceiro-sargento, quatro cabos e dois soldados da tropa de elite paulista.

No entanto, segundo o corregedor, coronel Marcelino Fernandes, tendo em vista o arsenal e as drogas encontradas no local das mortes, não há, inicialmente, indícios de irregularidades na ocorrência.

"Ontem, a equipe da corregedoria foi ao local. Nós ouviremos todos os policiais militares, mas o estudo de caso será feito pelo Batalhão de Choque", disse o corregedor.

Cotidiano